Futebol Mesmo antes da Libertadores, o Corinthians sempre soube o que é libertação

Mesmo antes da Libertadores, o Corinthians sempre soube o que é libertação

No dia em que completa 10 anos que o Timão conquistou a América, o L! traz uma crônica especial sobre o título

Lance
Lance

Lance

Lance

A vida do Corinthians é resumida em libertação.

+ Por onde andam os jogadores do Corinthians da final da Libertadores 2012 contra o Boca na Bombonera

Fundado em 1910, no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, sob a luz de um lampião, o time só existiu para ser a autonomia de um povo operário que tinha no futebol a sua liberdade.

É mais do que um Sport Club. É o Corinthians Paulista. Um estilo de vida. Que aprendeu na marra a lutar pela sua alforria, enquanto todos os outros riam. E fez do povo corintiano uma nação Fiel justamente porque sabia que cresceria quanto mais neles batiam.

Era a Libertadores até 2012? Mas também era o Brasileiro até 1990, era a saída da fila em 1977. E nunca era o suficiente. E nunca será, porque eles não entendem que a nação corintiana simplesmente vive de Corinthians.

+ Confira a tabela da Libertadores e simule o mata-mata do torneio

E quando o Basílio chuta, e quando o Neto brilha, e quando Sheik estufa a rede do Pacaembu, o estádio e o resto do mundo grita em um só som que liberta as dores não por uma Libertadores, mas por mostrar ao mundo que aqui, ali e em qualquer lugar é Corinthians. E basta. E se basta.

O 4 de julho de 2012 é muito mais que o fim da piada, é o último ato de provação de um clube que nem tinha o que provar, mas que assim o fez somente para certificar o seu gigantismo pintando a América em tons alvinegros.

Últimas