Fluminense

Futebol Meio-campo pesado? Veja as opções do Fluminense para resolver o problema

Meio-campo pesado? Veja as opções do Fluminense para resolver o problema

André, Martinelli, Metinho, Wallace são alguns nomes que esperam oportunidades na equipe principal e podem ser observados

Lance
Lance

Lance

Lance

Desde que Dodi decidiu não renovar o contrato, o Fluminense tem lutado para encontrar uma nova formação que dê consistência defensiva e de transição do meio-campo. Não que a equipe não mostrasse dificuldades antes, mas a saída de um dos principais jogadores da temporada complicou ainda mais a missão. Os titulares atualmente são Yuri, Hudson e Yago Felipe. Mas, no elenco e na base, o Tricolor pode encontrar algumas alternativas para dinamizar e acelerar o setor.

> ATUAÇÕES: Ninguém se salva em noite desastrosa do Fluminense contra o Corinthians

Dois jogadores já são conhecidos pela torcida no profissional. O primeiro é Martinelli, de 19 anos, que chegou até a entrar durante a goleada por 5 a 0 para o Corinthians, na última quarta-feira, mas o time paulista já havia marcado quatro gols. Nas quatro partidas em que foi utilizado no profissional, ele atuou principalmente mais próximo aos defensores, passando menos para o setor ofensivo. O segundo é André, também de 19 anos, que avançou um pouco mais nas seis oportunidades que teve, mas vem ficando fora de vários jogos pois atua pelo Sub-20 e pelo Sub-23.

- André e Martinelli estão dentro do que imaginamos para ajudar, como outros. Mas acho que não teria como mexer. Tentamos repetir a equipe, não tivemos um bom primeiro tempo e tentei mudar, fazendo o mesmo esquema tático do Corinthians, com o Nenê à frente. Deixamos nossa transição devagar e o retorno também. Pagamos caro. Temos que tirar lições para não cometer mais os erros. É muito triste um time vir de uma vitória importante contra o rival e tomar de cinco - disse Ailton Ferraz após a derrota para o Corinthians.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

Um dos jogadores mais importantes do Sub-27, chamada de Geração dos Sonhos, Metinho tem 17 anos e é visto como um dos mais promissores do futebol mundial. Ele se destaca principalmente pela boa leitura de jogo e precisão nos passes, é o cérebro do time. Da mesma geração, Pedro Rocha também apareceu bem e é um volante técnico.

Atualmente o Fluminense tenta emplacar Hudson mais avançado e não tem tido sucesso com Nenê, que continua deixando o time lento. Uma ideia pode ser com Wallace, que atuou no Sub-20 e no Sub-23, e pode jogar como primeiro, segundo volante ou mais avançado, além de dar qualidade aos passes. Outro que se destacou se vive fase goleadora é Matheus Martins, do Sub-17 e Sub-20, que, com habilidade, pode aparecer pelo direita ou por dentro. Da geração de 2000, John Everson está integrado ao time Sub-23 e atua mais como primeiro volante, bom em bolas mais longas.

Dois jogadores já estão entre os profissionais Nascimento vem ficando no banco e divide as atenções com o Sub-23. Ele atua mais avançado no meio. Outro muito pedido pela torcida é Miguel, que teve pouquíssimas chances ao longo da temporada, fazendo 17 jogos, cinco no Brasileirão. Mesmo assim, ele está empatado com Nenê, Hudson e Igor Julião, com três assistências.

O Fluminense precisará encontrar as soluções o quanto antes. Neste sábado, às 19h, o time volta a entrar em campo pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida é contra o Sport, no Estádio Nilton Santos.

Últimas