Futebol Massacre do Corinthians na Libertadores completa 22 anos

Massacre do Corinthians na Libertadores completa 22 anos

No dia 10 de março de 1999, o Timão goleou o Cerro Porteño (PAR) por 8 a 2, no Pacaembu, com show de Fernando Baiano

Lance
Lance

Lance

Lance

Esta quarta-feira (10) marca o aniversário de 22 anos da maior goleada do Corinthians na Libertadores. Contra o Cerro Porteño, do Paraguai, pela segunda rodada do grupo 3 da competição continental, em 1999, o Timão anotou, nada mais, nada menos, que 8 a 2 na equipe paraguaia, no estádio do Pacaembu.

>> Confira a tabela do Paulistão 2021 e simule os próximos jogos

O time comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira tinha Nei; Índio, Cris, Gamarra, Sylvinho; Rincón, Vampeta e Ricardinho; Dinei, Edílson e Fernando Baiano, e saiu na frente logo ao cinco minutos de jogo com o Capetinha. Mas quem foi o verdadeiro destaque do jogo foi o centroavante Fernando Baiano, que foi às redes cinco vezes.

Só no primeiro tempo, o time de Parque São Jorge vencia por 6 a 1, além de Edílson e Baiano quatro vezes, o lateral-direito Índio também deixou a sua marca.

No segundo tempo, o lateral-esquerdo Sylvinho marcou o sétimo gol corintiano, aos nove minutos, e o placar final se desenhou já na reta final da partida, com o Cerro diminuindo aos 41 e Fernando Baiano fechando o placar aos 45.

O gol do centroavante quase nos acréscimos, por sinal, é o que garante o resultado como o mais elástico da história do Corinthians na Liberta, já que em 2018 o clube bateu o Deportivo Lara, da Venezuela, por 7 a 2.

Últimas