Futebol Marcos Braz, VP do Flamengo, explica motivo que o deixava 'chateado' por conta de jornalistas

Marcos Braz, VP do Flamengo, explica motivo que o deixava 'chateado' por conta de jornalistas

Vice-presidente de futebol do Rubro-Negro comentou a respeito do tema psicólogo no clube: 'Problema em ter um psicólogo no Flamengo, isso existe em todo lugar do mundo'

Lance
Lance

Lance

Lance

Costumeiramente solícito com a imprensa, Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo, revelou algo que o deixava "chateado" por conta da abordagem de jornalistas: o tema psicólogo. Isso porque, de acordo com o dirigente, questionamentos acerca da não presença desse profissional no dia a dia do clube só vinha à tona em período de derrotas do Rubro-Negro.

- A única coisa que eu ficava chateado, um pouquinho, é que geralmente os jornalistas abordavam o tema da psicologia não era dois dias depois de o Flamengo ter sido campeão, não era durante o mês em que o Flamengo estava só ganhando. Era sempre quando estava para baixo ou em uma janela de derrotas, e vinham com essa pergunta. Eu não tenho nenhum problema em ter um psicólogo no Flamengo, pois isso existe em todo lugar do mundo. Até porque, se o psicólogo estiver lá, ele estará na área do Dr. Tannure, estará na área do Departamento Médico. Nós não tivemos nenhum relato de uma necessidade emergencial disso aí - falou Braz, em entrevista ao canal do jornalista Venê Casagrande, no YouTube, emendando:

- Então, se não temos necessidade emergencial, não precisamos ter isso no dia a dia, mas não quer dizer que não achemos que seja pertinente. O Flamengo já pagou, durante este processo, durante dois anos e meio que estou aqui, psicanalista para jogador, o Flamengo pagou. Se pagou, é por que o Flamengo entende que tem e respeita qualquer profissional desta área.

- O Flamengo respeita muito isso, mas eu ficava chateado somente quando estávamos nas janela das derrotas, e o jornalista só sentia necessidade da pergunta quando estávamos perdendo? Muitas das vezes precisamos de psicólogo em momentos de euforia, de felicidade, até para fazermos os ajustes que precisamos na vida. Se precisarmos do profissional amanhã ou depois de amanhã, se entendermos que precisamos de uma pessoa efetiva lá, será feito na hora - concluiu, sem revelar qual jogador recebeu tal suporte citado.

+ Fla líder do Grupo! Veja a tabela completa da Libertadores

No primeiro trimestre de 2019, o Flamengo afastou o psicólogo Alberto Figueiras do departamento de futebol. Posteriormente, o lado psicológico da equipe chegou a ser trabalhado por Evandro Motta, mental coach da comissão técnica permanente de Jorge Jesus, mas ele saiu junto ao Mister em 2020.

Últimas