Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Manipulação: dois jogos do Santos são investigados pelo Ministério Público; clube se manifesta

Suspeitas nos jogos do Peixe dizem respeito a ofertas de suborno por cartões amarelos e vermelho

Futebol|

Lance
Lance Lance

Os duelos do Santos contra Avaí (36ª rodada) e Botafogo (37ª rodada), pelo Brasileirão 2022, fazem parte dos cinco jogos da elite do futebol nacional que estão sendo investigados pelo Ministério Público de Goiás. O órgão realiza a Operação Penalidade Máxima, que serve para desmascarar possíveis esquemas de manipulação.

Em nota, o Peixe afirmou que tomou conhecimento do caso nesta terça-feira (18). O clube alega que não foi procurado pelas autoridades e reiterou que confia nos atletas, além de se posicionar de forma contrária em relação à manipulação de partidas.

+ Santos confirma troca: veja quanto os times brasileiros recebem dos patrocinadores master

Os promotores do caso afirmam que, nesses jogos, aconteceram propostas de manipulação. Mesmo assim, não há confirmação se os jogadores aceitaram as ofertas.

Continua após a publicidade

No duelo contra o Avaí, que acabou 1 a 1, um atleta do elenco alvinegro teria recebido uma abordagem para levar um cartão amarelo, de acordo com o MP. Dos jogadores santistas presentes no compromisso, Luiz Felipe, Rodrigo Fernández e Vinicius Zanocelo receberam a advertência na partida.

Na disputa contra o Botafogo, que culminou na vitória do time carioca por 3 a 0, um atleta teria sido assediado para levar um cartão vermelho. O zagueiro Eduardo Bauermann foi expulso após o apito final, mas não há comprovação de que ele esteja envolvido no caso.

Continua após a publicidade

De acordo com os promotores da operação, as ofertas rondavam entre R$ 50 mil e R$ 100 mil.

Além destes duelos da elite do futebol nacional, cinco partidas dos campeonatos estaduais passam por essa investigação.

Continua após a publicidade

LEIA A NOTA DO SANTOS, NA ÍNTEGRA

Nesta terça-feira (18), o Santos Futebol Clube tomou conhecimento, pela mídia, da segunda fase da Operação Penalidade Máxima, na Série A, e reforça o seu posicionamento totalmente contrário a qualquer envolvimento com manipulação do andamento natural da partida.

Reiteramos confiança total em nossos atletas, prezamos pela ética e pela moral do Clube e não concordaremos com atitudes totalmente antidesportivas.

Até o momento, o Santos não foi procurado pelas autoridades, mas se coloca previamente à disposição para colaborar com as investigações, certo de que a Justiça será feita. O Santos acompanhará o caso e aguardará as conclusões para se pronunciar a respeito, caso seja necessário

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.