Futebol Luís Henrique, do Botafogo, elogia Keisuke Honda: 'Ele é diferente'

Luís Henrique, do Botafogo, elogia Keisuke Honda: 'Ele é diferente'

Em entrevista ao programa "Os Donos da Bola", atacante afirma que se entende bem com o japonês dentro de campo e destaca felicidade por ser titular do Alvinegro

Lance
Lance

Lance

Lance

A paralisação das competições por conta da pandemia do coronavírus trouxe também uma pausa na ascensão de Luís Henrique. O atacante do Botafogo, que estreou nos profissionais no final do ano passado, havia assumido a titularidade antes do COVID-19 devastar o país. Em entrevista ao programa "Os Donos da Bola", nesta sexta-feira, o atacante falou sobre o seu momento.

- Foi a realização de um sonho pra mim estar estreando em um time grande como o Botafogo. Mais ainda por ser o titular. Cheguei na base do Botafogo no sub-17, em setembro (de 2018), joguei a Copa do Brasil, um pouco depois fui para o sub-20, joguei o ano todo no sub-20 e consegui estrear no profissional no ano passado - afirmou.

Luís Henrique recentemente renovou o contrato com o Botafogo até 2022. O empréstimo junto ao Três Passos Atlético Clube, do Rio Grande do Clube, representa o reforço nos laços entre os clubes.

- Eu já tinha um amigo meu que saiu do TAC e foi para o Botafogo, o Wesley (zagueiro, atualmente no sub-20). Um ano depois, o Sandro (Becker, empresário) me colocou lá. Ele é o dono do TAC. Eu nasci em João Pessoa, mas sou criado em Solânea, no interior da Paraíba - colocou.

A pandemia também freou os primeiros passos de Keisuke Honda no Botafogo. Apesar do pouco tempo, Luís Henrique destacou que o entendimento com o japonês, apesar da dificuldade com a língua, não era complicado.

- Ele é diferente. O cara tem uma visão e o jeito de jogo dele diferente, a gente conhece só de ele tocar na bola. A gente se entende bem dentro de campo, fora de campo não dá pra conversar muito, mas o importante é dentro de campo mesmo - analisou.

MAIS DECLARAÇÕES DE LUÍS HENRIQUE:

Renovação de contrato
- Me dá até mais confiança. Passa tranquilidade para treinar e jogar bem. Assinei ate 2002 da tranquilidade e confiança por acreditarem em mim, da tranquilidade para treinar e jogar bem.

Paulo Autuori
- Um cara que me ajuda muito. Conversa comigo, me da conselhos e só tenho a aprender, criar experiência no dia a dia do treino e ajudar a crescer

Melhores amigos no elenco
​- Sou muito na minha, mas converso muito com o pessoal da base, os que subiram comigo. Caio Alexandre, Rhuan, (Rafael), Navarro, Benevento, mas gosto dos mais velhos também, como Carli e Diego (Cavalieri), estão sempre me ajudando também.

Últimas