Futebol 'Justiça será feita', diz Flamengo após denúncia contra ex-presidente

'Justiça será feita', diz Flamengo após denúncia contra ex-presidente

Eduardo Bandeira de Mello está no grupo apontado como culpado por incêndio que matou dez jovens no CT do clube no início de 2019

Lance
Sede do clube foi palco de tragédia em 2019

Sede do clube foi palco de tragédia em 2019

Lance

Na última sexta-feira, às vésperas da tragédia no Ninho do Urubu completar dois anos, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo, e outras dez pessoas pessoas, que podem responder por crime de incêndio culposo (quando não há intenção), por conta dos dez jovens que morreram, e lesão corporal grave - pelos três que sobreviveram.

LEIA MAIS: Ex-presidente do Fla se defende de denúncia do MP: 'injustiça'

Nenhum dirigente da atual gestão foi denunciado, mas há dois funcionários atuais que estão presentes na denúncia distribuída para a 36ª Vara Criminal. A reportagem procurou o Flamengo, que se diz "à disposição da Justiça, como sempre esteve", afirmando que "acredita que será feita justiça".

"O Flamengo está acompanhando o processo judicial envolvendo a eventual responsabilização criminal pelo incêndio do ninho do Urubu e tomou conhecimento do oferecimento da denúncia pelo MP. O clube está à disposição da Justiça, como sempre esteve, e acredita que será feita justiça. O clube prefere não se manifestar sobre o mérito, haja vista sua plena confiança na Justiça", diz o Flamengo, via assessoria de imprensa.

Das pessoas denunciadas junto a Bandeira de Mello, está Carlos Noval, então diretor da base e, atualmente, gerente de transição (base-profissional). Prestadores de serviços, pessoas ligadas à empresa que forneceu os contêineres que pegaram fogo no dia 8 de fevereiro de 2019 e outros funcionários do clube estão entre os denunciados pelo MPRJ.

Os onze denunciados responderão por crime de incêndio culposo e lesão corporal grave caso a denúncia seja aceita. O grupo não corre o risco de ir a júri popular, uma vez que não foi denunciado por homicídio.

Ex da mãe de Neymar foge de clínica e tenta suicídio, garante colunista

Últimas