Futebol Justiça cita 'expressiva torcida' do Flamengo para justificar nomeação de Landim como interventor na CBF

Justiça cita 'expressiva torcida' do Flamengo para justificar nomeação de Landim como interventor na CBF

Em nota, presidente rubro-negro informa que analisa o caso e ainda tomará uma decisão

Lance
Lance

Lance

Lance

A decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, anulou a eleição de Rogério Caboclo e nomeou Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, como um dos interventores no comando da CBF. A justificativa do juiz Mario Cunha Olinto Filho, da 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca, foi a “expressiva torcida” do clube carioca.

+ Com 'fome de vitória', Renato resgata virtude do elenco para manter 100% de aproveitamento no Flamengo

Na sentença do magistrado, é possível ver o seguinte trecho: "Nomeiam-se os senhores Luiz Rodolfo Landim Machado (Presidente do clube de expressiva torcida, o Flamengo) e Reinaldo Rocha Carneiro Bastos (Presidente da Federação Paulista de Futebol), para, transitoriamente, cumprirem as determinações acima listadas."

A decisão nomeia Landim e Reinado Carneiro Bastos para comandaram a CBF de forma provisória. No período de 30 dias, eles teriam como obrigação a convocação de uma nova eleição. Os dirigentes precisam aceitar a nomeação, o que ainda não aconteceu. Em nota em conjunta, eles disseram que analisam o caso.

- Os presidentes da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, e do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, informam que analisarão em conjunto com federações, clubes e advogados a decisão da Justiça do Rio de Janeiro que os nomeiam interventores da Confederação Brasileira de Futebol. Tão logo tomem uma decisão, os presidentes da FPF e do Flamengo se manifestarão publicamente – diz o comunicado.

+ Fla na cola do G-4: veja a tabela completa do Brasileirão

Desde o início de 2019 no cargo, Landim vive seu último ano de mantado como presidente do Flamengo. A princípio, ele será candidato da situação e tentará a reeleição para os próximos três anos no pleito marcado para novembro.

Últimas