Futebol Jesualdo garante que nunca pensou em sair do Santos e comenta possível saída de Veríssimo: 'Mal para nós'

Jesualdo garante que nunca pensou em sair do Santos e comenta possível saída de Veríssimo: 'Mal para nós'

Venda do zagueiro pode ser solução para problemas financeiros do clube

Lance
Lance

Lance

Lance

Após uma semana turbulenta no Santos, com manifestações de torcedores contra o presidente José Carlos Peres e ações judiciais contra o clube, solicitando a rescisão unilateral dos contratos, por parte de dois atletas, Éverson e Eduardo Sasha, o técnico Jesualdo Ferreira garantiu que nunca cogitou pedir demissão.

– Eu tô aqui e nunca pensei em me demitir. Estou aqui para ganhar o Paulistão – disse em entrevista coletiva virtual após o empate em 1 a 1 contra o Santo André, na Vila Belmiro, na noite desta quarta-feira, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista.

O Peixe que, além de Éverson e Sasha, perdeu durante a pandemia o zagueiro Felipe Aguilar, vendido ao Athlético-PR, o meia Evandro, que não teve o seu contrato renovado, e o atacante Yuri Alberto, que comunicou a diretoria que não ampliará o seu vínculo com a equipe, que vai até o fim deste mês, corre o risco de perder mais uma peça importante, o zagueiro Lucas Veríssimo, que recentemente renovou com o Peixe até 2024.

Frente a uma situação financeira delicada, o presidente santista, José Carlos Peres, inúmeras vezes afirmou que liberará Veríssimo na primeira proposta europeia que ele considerar razoável financeiramente. Com a chegada de Jorge Jesus ao comando do técnico do Benfica, o Menino da Vila é alvo do clube português.

– Se o Lucas Veríssimo sair é muito mal pro Santos. É um jogador muito importante, não é fácil substituí-lo e é mal pra nós. Já a questão que tem a ver com o negócio de Lucas Veríssimo, eu não tenho que dar opinião nenhuma e é o clube que tem que tratar – disse o treinador.

O Alvinegro Praiano deve cinco meses de direito de imagem para boa parte do elenco, além de ter reduzido em 70% o salário de todo o elenco há três meses, sem o consentimento dos jogadores. A direção do clube corre para encontrar alternativas para pagar parte das pendências o mais rápido possível e não sofrer com o risco de ser acionado judicialmente por outros jogadores.

A princípio, os jogadores que foram relacionados para o confronto diante do Ramalhão estão fechados em buscar alternativas de negociação que não prejudiquem o Peixe.

Últimas