Jesualdo define os cinco capitães do Santos no ano; Alison será na estreia

Além do volante, os zagueiros Lucas Veríssimo e Luiz Felipe, o lateral-direito Pará e o meia Carlos Sánchez foram os escolhidos para liderar o Alvinegro nesta temporada 

Lance

Lance

Lance

O treinador Jesualdo Ferreira definiu os cinco capitães do Santos nesta temporada. Os escolhidos foram os zagueiros Lucas Veríssimo e Luiz Felipe, o lateral-direito Pará, o volante Alison e o meia Carlos Sánchez.

O escolhido para usar a faixa de capitão na estreia do Campeonato Paulista contra o RB Bragantino, nesta quinta-feira, às 19h15, na Vila Belmiro, será Alison.

- Vai ser o Alison. Quero que tenha uma base que permita muitas vezes cinco jogadores que consigam fazer o trabalho de suporte. Às vezes é preciso proteger, o treinador não pode fazer isso. É importante e os jogadores escolhidos são estes: Lucas (Veríssimo), Alison, Carlos Sánchez, Pará e Luiz Felipe. Não está na ordem - afirmou Jesualdo, em entrevista coletiva, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

Jesualdo também deu aula para explicar que espera encontrar um equilíbrio no Santos. O assunto foi muito discutido quando Jorge Sampaoli era o treinador. O Peixe era ofensivo, mas, em algumas ocasiões sofria com ataques e até goleadas.

- Está muito longe de encontrar este equilíbrio, vai ser sempre melhorando, porque os adversários vão mudando e os resultados vão acontecer. Temos de readaptar, eu tenho uma forma de atuar, Sampaoli tem outra. A questão mais importante é vocês saberem que quando eu falei do equilíbrio se dá a ideia e o conceito. Não adianta ser ofensivo, se você não tem a bola. A equipe pode até não ter a posse, mas você precisa se preparar, precisa se defender. Em uma maneira geral, tem de estar preparado para os dois momentos: atacar e defender. É perceber que você tem de estar preparado para ganhar a bola e atacar, mas também perder, ganhar de novo a bola e atacar. Se você não se preocupa com o equilíbrio, você vai tomar gol e não controlará. Se você tiver, tem mais vantagem em ter a bola, em parar o adversário e controlar o adversário. Todo jogador gosta de atacar e ter a bola, mas ninguém gosta de defender. Como vamos trabalhar a defesa? Tem de se encontrar uma forma para que os jogadores percebam que, quanto mais ganhar a bola, mais chance tem de fazer gol e menos chance de sofrer gols - explicou.

Com somente dois reforços nesta temporada (Raniel e Madson), Jesualdo garantiu que ainda não fez o balanço se a equipe precisa de mais reforços, mas voltou a valorizar o elenco vice-campeão brasileiro.

- Foi com estes jogadores que o Sampaoli fez uma boa equipe e foi vice-campeão brasileiro. Se foi, entendeu à altura e deu a equipe mais capacidade para ser mais forte. Não tenho tempo ainda para fazer este balanço. Não existe ver agora o fim. Estes jogadores e esta equipe vão se empenhar bem e ser melhor do que ano passado. Só o futuro próximo vai dizer ou não se vamos precisar de jogadores com maior capacidade - contou o português de 73 anos.

O Santos faz o último treino na tarde desta quarta-feira, na Vila Belmiro, com portões abertos.