Futebol Invicto fora de casa, Fluminense tenta primeira vitória no Equador por semifinal da Libertadores

Invicto fora de casa, Fluminense tenta primeira vitória no Equador por semifinal da Libertadores

Tricolor já conquistou a classificação uma vez depois de um 2 a 2 em casa, pela Copa do Brasil; Flu precisa de uma vitória ou outro empate, mas com três ou mais gols

Lance
Lance

Lance

Lance

É a hora da verdade para o Fluminense. Depois do empate por 2 a 2 no Maracanã, o Tricolor decide, nesta quinta-feira, a vaga nas semifinais da Libertadores contra o Barcelona, em Guayaquil (EQU), às 21h30 (de Brasília). Invicto fora do Rio de Janeiro, o Tricolor tenta quebrar indigestos números: nunca venceu no Equador pela competição, vem de quatro derrotas seguidas como visitante e enfrenta uma equipe com 100% de aproveitamento em casa.

A partida tem transmissão em tempo real do LANCE!. O Flu precisa de uma vitória no Estádio Monumental ou de um empate por três ou mais gols. A única vez em mata-mata que houve uma situação parecida resultando em classificação foi em 2005. Na Copa do Brasil, o Fluminense empatou em casa com o Ceará por 2 a 2, mas venceu por 4 a 1 no Castelão. Em 2004, contra o Grêmio, o Tricolor carioca acabou derrotado por 4 a 1 em Porto Alegre na volta.

Veja todos os confrontos da Libertadores

​Na Libertadores, o Flu já teve um 2 a 2 na partida de ida da semifinal de 2008, contra o Boca Juniors (ARG), mas naquela ocasião decidiu em casa, vencendo por 3 a 1 em partida histórica. Na competição, o empate por esse placar com o Barcelona foi apenas o terceiro da história, somando-se também a um jogo com o Argentino Juniors (ARG) em 2011.

Na Copa do Brasil, há alguns exemplos, mas com mandos inversos. Houve um 2 a 2 com o Goiás fora de casa em 2009 e 1 a 1 no Rio de Janeiro. Em 2006, também em Goiânia, o Flu fez este placar contra o Vila Nova, mas venceu por 4 a 0 em casa. Em 2004, empate com o Juventude no Alfredo Jaconi e vitória por 2 a 1 no Maracanã. Em 1994, o Linhares eliminou o Flu após igualdade de 2 a 2 no Rio e 1 a 1 no Espírito Santo.

No Equador, são quatro jogos, mas algumas lembranças amargas. Um empate por 0 a 0 com a LDU pela fase de grupos da Libertadores de 2008 e a derrota por 4 a 2 para a mesma equipe no jogo de ida da final daquele ano. Em 2013, o Fluminense foi derrotado pelo Emelec por 2 a 1 nas oitavas de final, mas chegou às quartas após vencer no Rio.

A última viagem até o país foi justamente para Guayaquil, onde o Flu enfrentou o Junior Barranquilla (COL), em partida transferida em função das manifestações na Colômbia. O duelo terminou empatado em 1 a 1. Na Sul-Americana, esse retrospecto já fica em duas vitórias e duas derrotas.

Há um retrospecto que é mais positivo para o Fluminense: justamente a campanha nesta Libertadores. São três vitórias e um empate jogando fora de casa, totalizando um aproveitamento de 83,33%. Dentre esses triunfos, as duas melhores partidas da equipe no ano com o 3 a 1 sobre o River Plate (ARG) em pleno Monumental de Núñez e o 2 a 0 contra o Cerro Porteño (PAR) em Assunção.

Na atual temporada, são nove vitórias, cinco empates e oito derrotas, sendo quatro delas seguidas nas últimas partidas. Depois de bater o Cerro no Paraguai, o Flu perdeu para Palmeiras, Criciúma, América-MG e Internacional.

O Fluminense chega ao Equador pressionado por três partidas sem vencer e prestes a fazer o jogo da vida em busca de uma vaga na semifinal da Libertadores. A partida acontece às 21h30 (de Brasília).

Últimas