Impulsionado por Gabigol, Flamengo supera barreira dos R$ 150 milhões

São três temporadas seguidas investindo mais de R$ 100 milhões no elenco profissional. Time foi campeão brasileiro e da Libertadores em 2019

Gabigol se tornou o atleta mais caro da história do Flamengo: R$ 95 milhões

Gabigol se tornou o atleta mais caro da história do Flamengo: R$ 95 milhões

Lance

Os gols, a identificação com a torcida e o papel decisivo nas conquistas de 2019 de Gabriel Barbosa fizeram com que o Flamengo fizesse o máximo esforço para contratá-lo em definitivo. E assim fez. Em janeiro, o clube acertou a compra do camisa 9 junto à Inter de Milão, da Itália, tornando o atacante de 23 anos o atleta mais caro da história do Rubro-Negro: R$ 95 milhões, entre direitos econômicos, luvas e custos da transação, como aponta o balancete.

Impulsionado pela compra de Gabigol, o Flamengo ultrapassou os R$ 150 milhões em investimentos feitos no elenco profissional para temporada atual. Segundo a demonstração financeira, foram gastos exatos R$ 176 milhões - confira abaixo, detalhadamente, os custos de cada uma das seis negociações.

Assim, este é o terceiro ano consecutivo que o Flamengo investe mais de R$ 100 milhões para reforçar seu elenco. Foram R$ 108 milhões em 2018 - com Vitinho, do CSKA, da Rússia, custando R$ 54 milhões - e R$ 206 milhões em 2019 - sendo R$ 51 milhões desembolsados por Gerson, da Roma, da Itália.

OS CUSTOS DOS REFORÇOS DO FLAMENGO PARA 2020:

Gabriel Barbosa (Inter de Milão) - R$ 95 milhões e 219 mil (direito econômicos, lucas e custos de transação/intermediação)
Leonardo Pereira (Athletico) - R$ 30 milhões e 140 mil (direito econômicos, lucas e custos de transação/intermediação)
Michael (Goiás) - R$ 38 milhões e 497 mil (direito econômicos, lucas e custos de transação/intermediação)
Renê (Sport) - R$ 5 milhões e 625 mil (direitos econômicos)
Gustavo Henrique (livre) - R$ 2 milhões e 100 (custos de transação/intermediação)
Everton Ribeiro (renovação) - R$ 2 milhões e 861 mil (direito econômicos, lucas e custos de transação/intermediação)

Estádio vazio, festa tímida, mas bom futebol na volta do Alemão. Confira