Honda, do Botafogo, defende cortes nos salários durante a quarentena

Meio-campista entende que dirigentes dos clubes devem procurar jogadores para uma redefinição dos vencimentos mensais durante a pandemia

Keisuke Honda fez apenas um jogo pelo Botafogo

Keisuke Honda fez apenas um jogo pelo Botafogo

Lance

Keisuke Honda reconhece que o momento vivido é delicado. A pandemia do coronavírus trouxe mudanças para a vida de praticamente todas as pessoas - e o futebol, consequentemente, não passou batido. O jogador do Botafogo se posicionou e afirmou que apoia cortes nos salários dos jogadores enquanto a covid-19 continuar devastando o país.

- Em relação às equipes esportivas profissionais, os gerentes devem solicitar imediatamente cortes salariais em ordem decrescente de salário. Muitos jogadores devem entender que se fala de boa fé. Caso contrário, mais equipes entrarão em colapso e os fãs ficarão tristes com o resultado - escreveu em sua conta no Twitter.

Inicialmente, o Botafogo não vai diminuir os vencimentos do elenco. O clube divulgou uma nota afirmando que pagaria de forma integral os salários de março e abril. A tendência, contudo, é que as competições permaneçam paralisadas por mais tempo - desta forma, a diretoria do Alvinegro terá que renegociar um acordo com o elenco.

Honda tem um dos maiores salários do atual elenco do Botafogo, mas, mesmo assim, não se importa em dizer que, nesse momento, o corte em parte do valor é a melhor opção.