Futebol Guilherme Torres explica sucesso da 'Geração dos Sonhos' do Fluminense e analisa transição ao profissional

Guilherme Torres explica sucesso da 'Geração dos Sonhos' do Fluminense e analisa transição ao profissional

Treinador vê confronto contra o São Paulo bastante equilibrado; primeiro duelo, em Cotia, terminou empatado em 0 a 0

Lance
Lance

Lance

Lance

O Fluminense entrará em campo nesta sexta-feira para decidir o título da Copa do Brasil Sub-17 contra o São Paulo, às 17h30 no Estádio Luso-Brasileiro. A "Geração dos Sonhos", como é conhecida, conta com nomes de talento já conhecidos pela torcida tricolor, mas à frente disso tudo está Guilherme Torres, que conhece bem a metodologia e "do que Xerém é feito", e é o responsável por comandar o grupo ao sucesso. Para o treinador, a receita da consolidação do elenco está no trabalho.

> Fluminense chega a 86 gols e 22 jogadores diferentes balançando a rede na temporada; veja a lista

- Acredito que o desejo de evolução dos jogadores somado ao trabalho realizado pela comissão técnica baseado em nossa metodologia e filosofia de formação. Não podemos também esquecer de todo o processo formativo realizado com esses jogadores nas categorias inferiores, já que a formação realizada em Xerém é de médio e longo prazo - analisou, em entrevista ao L!.

O primeiro jogo da decisão terminou empatado em 0 a 0, em Cotia. Agora, a decisão fica para o Rio de Janeiro. O Flu chegou à final confiante depois de fazer 9 a 1 no Flamengo no agregado da semifinal. Na temporada, somando as duas competições que disputou, Guilherme Torres e o Sub-17 tem 23 jogos, 18 vitórias, dois empates, três derrotas, 61 gols marcados e 23 sofridos.

- Estamos muito conscientes do nosso momento e também do respeito pelo nosso adversário nessa grande final. E isso ficou evidente na primeira partida marcada pelo equilíbrio entre as equipes e um resultado, ao meu ver, justo. Por se tratar de um jogo na casa do adversário enxergamos com positividade o empate nessa primeira perna do confronto - disse o treinador.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

O sucesso dentro de campo dará bons frutos aos jogadores. Kayky, Matheus Martins e Metinho já foram avisados que vão subir para o elenco principal em 2021. O meia Arthur, de 15 anos, também treinará com o profissional quando completar 16. Guilherme Torres analisou essa transição de atletas ainda jovens já para o grupo atualmente treinado por Marcão.

- São jogadores que estão conseguindo chegar até as finais das principais competições da categoria, o que certamente colabora para o seu amadurecimento e formação. A transição das categorias de base para a equipe profissional é uma etapa crucial no desenvolvimento do jogador e o clube saberá realizá-la no momento mais adequado considerando cada contexto.

Guilherme Torres chegou ao Flu em 2017 como Coordenador Metodológico da base e foi um dos responsáveis por criar o documento orientador do DNA Tricolor. Em março de 2020, depois da saída do técnico Leonardo Ramos, ele recebeu a missão de assumir a equipe Sub-17 do Tricolor. O que nem todo mundo sabe é que Guilherme Torres é irmão de Eduardo Oliveira, que comanda o time Sub-20 do Flu. Os dois são filhos de Eraldo Torres, ex-ponta esquerda com passagens por clubes como América, Bangu e Americano, mas que foi auxiliar da Seleção Brasileira no título da Copa do Mundo Sub-17 em 1999.

Com pouco tempo no comando, Guilherme precisou passar por um período à distância por conta da pandemia e de incertezas sobre o calendário. Mesmo assim, liderou o grupo para o título do Campeonato Brasileiro e agora tentará o da Copa do Brasil.

- O trabalho realizado com essa geração na temporada seguiu nossa metodologia de formação baseada em nossos valores e uma ideia de jogo para formar melhores pessoas e melhores jogadores de futebol. O grupo foi amadurecendo com todos os acontecimentos na temporada, buscando sempre a evolução e conseguindo assim expressar todo o potencial de talento na prática - explicou.

O treinador tem Licença Pro da CBF e passagens pela base da Seleção Brasileira masculina e feminina, além da coordenação metodológica no Flamengo, Botafogo e na Nike Academy Global. Ele também foi treinador da Nike Academy RJ.

Últimas