Futebol Guerra, frio e terremoto: meia ex-base do Fluminense relembra experiências fora do Brasil

Guerra, frio e terremoto: meia ex-base do Fluminense relembra experiências fora do Brasil

Roninho Germano ficou até o sub-15 no Tricolor das Laranjeiras, mas não foi aproveitado. Desde então, passou por alguns clubes e teve muitas experiências no Velho Continente

Lance
Lance

Lance

Lance

Entre 2009 e 2011, o meia Roninho Germano ficou do sub-12 ao sub-15 do Fluminense. Após não ser mais aproveitado na base de Xerém, o capixaba começou a atuar fora do Brasil. Desse período para cá, ele acumulou experiências e muitas histórias de vida no futebol europeu.


No ano passado, Roninho disputou a Liga da Armênia pelo Ararat Yerevan. Além do futebol, o clima de guerra deixou uma lembrança na memória do jogador enquanto estava treinando no CT do clube.

- A guerra acontece em uma região afastada chamada Nagorno-Karabakh, que fica no Azerbaijão, mas quase toda população que mora lá é de origem da Armênia. Os dois países tem uma briga antiga por essa região. A Turquia apoia o Azerbaijão e a Rússia apoia a Armênia. Lembro que algumas vezes eu estava treinando e passavam alguns helicópteros de guerra perto da gente. Situação inusitada na minha vida, mas fora isso foi uma experiência muito boa na minha vida morar e jogar na Armênia. No país também tem o monte Ararat, onde estava localizado a Arca de Noé - conta.

Outro momento recordado por Roninho, que no Brasil passou por times de menor expressão, como Vitória-ES e Goiatuba-GO, foi o frio na Polônia. Em 2018, o meia jogou seis meses no Apis Jedrzychowice, que é uma equipe pequena do país.

- Quando estava dentro de casa era tranquilo por causa do aquecedor, mas quando saía pra treinar e jogar naquele frio de -10° até chegando a -15° era complicado. Depois fui me acostumando. Jogar na neve foi uma experiência incrível para mim.

O momento mais tenso para o jogador de 23 anos aconteceu em 2016, quando jogava no Campobasso, da Itália. Roninho Germano estava concentrado para um jogo e, de repente, teve um terremoto.

- Era próximo de 8h da manhã e eu estava concentrado com um italiano no quarto do hotel para um jogo no domingo. Acordei com tudo balançando. Pensei primeiro que ele estava brincando comigo para me acordar, mas quando vi a lâmpada cair no chão e tudo tremendo percebi que era terremoto. Desci três andares correndo pela escada de emergência do hotel junto com os outros jogadores até chegar na rua. Foram uns 15 segundos de muito pânico. Mas depois lembro que teve muita resenha por causa do pijama quadriculado do treinador (risos). Graças a Deus ninguém se machucou e foi só um susto.

Campeão da terceira divisão do Campeonato Goiano no ano passado com a camisa do Goiatuba, Roninho ainda busca deslanchar na carreira. Atualmente, o jovem defende as cores do Formia Calcio, da Itália.

Últimas