Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Gabriel Pirani elogia atuação do Fluminense por segurar empate com um a menos

Meio-campista foi titular no lugar de Alexsander, que está lesionado, e afirmou que Tricolor soube suportar pressão do Flamengo

Futebol|Do R7

Titular no empate entre Fluminense e Flamengo na última terça-feira na ausência de Alexsander, o meio-campista Gabriel Pirani analisou a partida diante do Rubro-Negro e enalteceu a atuação de seus companheiros. Segundo o atleta, o Tricolor conseguiu suportar a pressão para seguir vivo na competição.

- Eles vieram com muita vontade por causa do que aconteceu na final (Campeonato Carioca), e a gente soube suportar. Time que quer ser campeão tem que saber suportar. Nosso time foi seguro e soubemos suportar a pressão deles - disse Pirani.

+ Veja a tabela e os jogos da Copa do Brasil 2023

Questionado sobre a conversa que Fernando Diniz teve com os jogadores após ver a pressão inicial do Flamengo, Pirani comentou que o treinador pediu uma concentração maior. O jogador também criticou a arbitragem, que não deu nenhum cartão amarelo para o Flamengo mesmo com mais de 20 faltas cometidas.

Publicidade

- Ele pediu que a gente mantivesse a concentração e aumentasse a intensidade. Eles fizeram muitas faltas e não levaram cartão amarelo. Ele pediu que tivéssemos concentração para não correr mais riscos.

+ ATUAÇÕES: Defesa do Fluminense se destaca ao segurar o empate; Felipe Melo recebe a menor nota após expulsão

Publicidade

Pirani disse que o resultado não foi satisfatório, mas que dentro do contexto da partida, com o Fluminense com um jogador a menos, o placar acabou de bom tamanho. O jovem de 21 anos ainda afirmou que o lema da torcida para com os jogadores é verdadeiro.

- Satisfatório seria se a gente ganhasse, mas a gente entende o rumo que o jogo tomou. Nós somos um time de guerreiros, mesmo com dez jogadores conseguimos sair jogando, o Santos teve que trabalhar… Soubemos suportar e entender o jogo e colocamos o resultado como positivo.

Publicidade

Durante o primeiro tempo, Gabriel Pirani muitas vezes atuou como uma espécie de auxiliar de lateral, tendo que marcar as subidas de Wesley pelo lado direito rubro-negro. Em sua avaliação, o atleta disse que conseguiu fazer o esperado.

- A gente sabia que o Wesley iria apoiar bastante e esperávamos que o Santos buscasse os laterais. Tentei voltar o tempo todo e acho que fui bem nisso - finalizou.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.