'Fominha' no Santos, Marinho toparia ter contrato vitalício: 'Só chamar!'

Atacante se recupera de uma fratura no pé e revela que a maior dificuldade é não estar em campo. Ele também não se importaria da diretoria propor um contrato mais longo

Lance

Lance

Lance

Ainda em recuperação de uma fratura no pé, Marinho está ansioso para voltar a atuar pelo Santos. Não somente para estar de volta ao futebol, mas também por ser "fominha". Pois é, o atacante revelou ao LANCE! que é o tipo de jogador que não gosta de ficar de fora de nenhum jogo.

Conhecido por ser um atleta super ativo, o maior problema para Marinho é justamente a rotina de ficar em casa e ir ao CT Rei Pelé para apenas realizar seus tratamentos.

- A rotina tem sido casa e CT. Não tem muito o que fazer. Tenho me dedicado muito no tratamento, buscado fazer 101% o que os médicos e fisioterapeutas vêm pedindo. Isso tem me ajudado muito. Já tive uma evolução grande desde o início do tratamento até hoje. A falta maior é estar em campo mesmo. Quero jogar, estar em campo o tempo inteiro. Sou fominha - disse com exclusividade ao LANCE!.

A expectativa é de que o atacante retorne em duas semanas. E apesar da pressa para ficar à disposição de Jesualdo, Marinho está tratando a lesão com paciência, sem "forçar a barra".

- Não tem como forçar a barra. Temos que ter cautela e muita paciência neste momento. Paciência é a palavra-chave agora. Estou me sentindo cada dia melhor e isso tem dado confiança. Os médicos já me liberaram para fazer atividades físicas com os membros superiores e isso é muito bom. Tenho ido no clube todos os dias - explicou.

Com contrato até final de dezembro de 2022, Marinho foi um dos principais destaques de 2019. Foram 40 jogos e 12 gols. O atacante se adaptou rapidamente e caiu nos braços da torcida. Inclusive, se dependesse dele até assinaria um contrato vitalício.

- Só chamar! Quem não gostaria de defender essas cores para sempre? O Santos é gigante. É um privilégio estar aqui - afirmou.

Se o Santos vai propor esse tal contrato vitalício eu não sei, mas se depender do Marinho ele fica na Vila Belmiro sem prazo de validade.

Veja mais respostas da entrevista com Marinho:

L!: Você chegou a ter uma conversa com o Jesualdo após a lesão? Ele te disse algo que te marcou? Te pediu calma, te passou tranquilidade? Como foi esse momento?

M: Jesualdo é um treinador experiente, com uma história no futebol muito grande. Ele vem passando tranquilidade, sim. Todos sabem que quero estar em campo logo. Agradeço a todos por essa força que estão passando no dia a dia. Mostra a união de todos.

L!: Sua entrega em campo é fora do comum. Por isso o torcedor sente sua falta em praticamente todos os jogos. Qual a sensação de ser referência para a torcida? O que você crê que fez para ser acolhido dessa forma?

M: Não me sinto referência para a torcida. Não gosto de pensar assim. Penso que sou um jogador importante como todos os outros. Sou feliz e grato por vestir essa camisa. Acredito que a vontade que demonstro em campo ajuda nesse carinho da torcida por mim. Tenho me esforçado muito para recompensar isso com boas atuações.

L!: Está ansioso e positivo para retornar no mesmo pique do Marinho de 2019? O que você espera dessa temporada?

M: Estou muito ansioso. Não tem como não ficar. Quando o atleta fica um tempo fora da sua atividade, é algo que desanima qualquer um. Estou motivado para voltar 100%. Espero que essa sequência da temporada seja de grandes resultados para todos.

L!: Você tem assistido aos jogos do Santos enquanto fica de repouso? Viu evolução no estilo de Jesualdo?

M: Acompanho tudo mesmo de fora. Tudo mesmo. Nós estamos passando total confiança ao Jesualdo e sua comissão técnica para que essas próximas semanas sejam de bons resultados e evolução para a equipe. Confiamos no trabalho que tem sido realizado.