Futebol Fluminense minimiza prejuízo com empate, mas vê falhas custarem caro e emocional pesar na Libertadores

Fluminense minimiza prejuízo com empate, mas vê falhas custarem caro e emocional pesar na Libertadores

Substituições não dão certo, time tem dois lances com erros gerais e perde a chance de construir bom resultado no Maracanã contra o Barcelona de Guayaquil

Lance
Lance

Lance

Lance

O Fluminense vinha fazendo uma sequência de partidas muito ruins nas últimas semanas, acumulando atuações sem inspiração e pontos positivos. Nesta quinta-feira, a equipe até fez um primeiro tempo seguro e, mesmo com um duelo equilibrado, saía com a vitória sobre o Barcelona de Guayaquil (EQU). No entanto, as falhas custaram caro, o time sentiu os gols e as substituições foram equivocadas, mas, no fim, Fred garantiu o empate por 2 a 2 de pênalti.

+ ATUAÇÕES: Gabriel Teixeira abre o placar para o Fluminense no Maracanã; falhas na defesa quase custam o resultado

O placar complica a vida do Flu, que diminuiu o prejuízo, mas precisará de uma vitória ou um empate por pelo menos três gols para avançar às semifinais da Libertadores. A equipe, vale lembrar, está invicta fora de casa, com três vitórias e um empate, mas terá pela frente um time que tem apenas triunfos em seus domínios. O confronto será na quinta-feira, às 21h30, no Monumental.

Veja todos os confrontos da Libertadores

Foi um primeiro tempo de pouquíssimas oportunidades para os dois lados, mas o Fluminense abriu o placar logo quando o Barcelona parecia começar a gostar do jogo. Gabriel Teixeira apareceu bem na área para marcar, aproveitando falha do goleiro. O garoto de Xerém, inclusive, foi o grande nome deste duelo de ida, mas sentiu a coxa e precisou ser substituído. A expectativa é que ele não se torne mais um problema físico neste momento. O Flu tenta recuperar Caio Paulista a tempo da volta.

Fluminense x Barcelona de Guayaquil - Nino e André

Fluminense x Barcelona de Guayaquil - Nino e André

Lance

Nino cometeu pênalti em Garcés (Foto: Staff Images/CONMEBOL)

Se terminou em ritmo mais baixo, depois do intervalo o início foi frenético, mas pesou algo que já foi visto antes: a incapacidade de definição. Fred viveu dia ruim e perdeu uma chance clara, além de acabar com um contra-ataque e ter dificuldades para se mostrar como boa opção. Mesmo assim, Roger Machado terminou o jogo com o camisa 9 em campo, colocando Abel Hernández apenas nos momentos finais. Foi o uruguaio quem sofreu o pênalti.

Os gols do Barcelona também pesaram e evidenciaram a fragilidade que ainda existe em um Flu onde a maioria é estreante na competição. Primeiro, um pane geral na defesa, com falhas de Samuel Xavier dando espaço, Nino marcando mal e Martinelli perdendo no alto, além de Marcos Felipe, que não pegou bola defensável. A partir daí, os equatorianos cresceram e aos 42 minutos viram Nino cometer pênalti bobo em Garcés para virar.

O empate até veio e, como em outras situações, aliviou um pouco a situação vivida. Mas alguns erros se mostram pertinentes. O banco, por exemplo, não consegue ter a mesma força que mostrou em outros momentos. Lucca e Kayky se mostraram opções sem qualquer efeito positivo e nem quando esteve com um a mais o Flu conseguiu se aproveitar para buscar melhor resultado. A entrada de Cazares como titular até foi boa, mas o esquema ainda apresenta deficiências.

Com três derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro, o Fluminense não terá tempo para recuperar os jogadores e precisará avaliar as condições do elenco para enfrentar o Internacional neste domingo. A partida será no Beira-Rio, às 20h30, e mantém a pressão em Roger por conta do rendimento ruim no torneio nacional. O alerta está ligado.

Últimas