Futebol Fagner, do Corinthians, lamenta tentativa do Flamengo de volta do público: 'Tem que ser para todos'

Fagner, do Corinthians, lamenta tentativa do Flamengo de volta do público: 'Tem que ser para todos'

Lateral-direito do Timão criticou a possibilidade de haver diferença de condições de jogo entre os clubes. Além disso, ele creditou essa ação como uma cultura do brasileiro

Lance
Lance

Lance

Lance

Os bastidores do futebol brasileiro pegaram fogo durante esta semana com a liberação do STJD para o retorno do público aos estádios, em decisão que atende aos pedido do Flamengo. A ação do tribunal e do clube carioca não agradaram as outras agremiações, nem os jogadores rivais, como Fagner, do Corinthians, que lamentou o benefício de uns em detrimento de outros.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Jemerson e Otero dão adeus! Veja quem já deixou o Corinthians em 2021

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o lateral comentou o caso e defendeu a igualdade para todos os clubes, alegando que isso mostra uma cultura do brasileiro, que olha apenas para o próprio umbigo. Ele está embasado também pelo Timão, que se posicionou contrário à decisão do STJD e à postura do Fla, levando em conta o regulamento acordado antes do início do campeonato.

- É uma situação delicada. A gente sabe que ainda existe uma pandemia. Obviamente todo clube gostaria de ter sua torcida, mas ainda temos que tomar cuidados, rever algumas coisas, acredito que deveria ser uma decisão em conjunto para que todos os clubes tivessem a mesma condição, mas muitas vezes isso não acontece. Pela cultura do brasileiro que às vezes só olhamos nosso umbigo, o que é a nosso favor: "Se for bom para mim está ótimo, se for ruim, eu questiono" - argumentou o camisa 23.

Fagner citou o caso do Corinthians, que poderia se valer da importância do torcedor para buscar o mesmo objetivo, mas destacou que o essencial no momento é a preservação da saúde e seguir o princípio da igualdade de condições a todos os clubes, pois a situação foge do controle de todos.

- Com nosso torcedor, muitos jogos teriam sido diferentes, mas isso foge do nosso controle. Temos de ser conscientes sobre o momento que o mundo vive. E tem que ser igual para todos - concluiu.

Em nota oficial, a CBF citou uma possível quebra do equilíbrio técnico das competições e relembrou um acordo fechado entre os clubes em março deste ano, que veda a presença de público nos estádios até nova reunião entre as partes. A entidade informou que vai recorrer da decisão do STJD.

Últimas