Futebol Evolução! Trajetória do Fluminense no Carioca indica novas ideias e time base para a temporada

Evolução! Trajetória do Fluminense no Carioca indica novas ideias e time base para a temporada

Atuação de Ganso demonstra que time pode ser mais propositivo; lições no Carioca podem ser utilizadas no restante da temporada do Fluminense

Lance
Lance

Lance

Lance

A conquista do Carioca pelo Fluminense, no último sábado, surpreendeu mais pela evolução do time em campo do que pelo resultado em si. Apesar da sequência invicta na Taça Guanabara, o time organizado por Abel Braga conseguia os resultados, mas despertava desconfiança quanto ao desempenho. No clássico contra o Flamengo, contudo, o Tricolor não apenas soube se defender, como também aproveitou as oportunidades com a bola no pé. Assim, o estadual deixa lições que podem ser aproveitadas na temporada.

Criticado por pensar um time muito defensivo, Abel Braga declarou mais de uma vez que permaneceria fiel às suas ideias. Para o Fla-Flu, o técnico disse que organizaria a equipe "sem surpresas", para se defender na maior parte do jogo e aproveitar os minutos finais para se arriscar mais à frente. Contudo, não foi isso o que aconteceu. Diferente dos outros duelos entre os clubes, o Fluminense impôs o seu jogo desde os primeiros minutos. E o resultado não poderia ter sido melhor.

A criação do grupo, que deixava muito a desejar, apresentou uma mudança significativa. Com Ganso na construção das jogadas, o Flu elevou o nível das investidas sobre o adversário. O camisa 10 encontrou espaços, deu opções de passe e usou toda sua técnica para direcionar a transição ofensiva. Além do maestro, Yago Felipe e principalmente André contribuíram para uma troca de passes rápida e em espaços curtos. Mesmo sob pressão, os volantes do Flu protagonizaram desarmes e uma boa composição com o meia.

Porém, nem por isso o Tricolor deixou de se defender quando esteve exposto. Nos contra-ataques do arquirrival, os zagueiros não permitiram que o perigo chegasse à meta durante quase todo o primeiro tempo. O gol do Flamengo, ainda na etapa inicial do jogo, veio mais de erros individuais do que de uma desorganização tática. E mesmo depois que o adversário abriu o placar, a zaga não facilitou para os rubro-negros. Os laterais, mais livres pela presença de três zagueiros, fizeram uma movimentação interessante ao percorrer todos os setores do campo.

Ainda há uma longa temporada pela frente, mas as alterações de Abel Braga no Fla-Flu mostram que o clube tem um time base para enfrentar desafios maiores que o Carioca. Mais do que o título, o estadual serviu para o elenco se entrosar, crescer e mostrar que tem ideias a serem valorizadas. Agora, o Fluminense vira a chave para enfrentar o Oriente Petrolero-BOL no Maracanã, às 19h15, nesta quarta-feira. O jogo marcará a estreia do Tricolor na fase de grupos da Copa Sul-Americana.

Últimas