Estreia de Kalou: disposição, elogios e adição ao ataque do Botafogo

Mesmo no primeiro jogo, marfinense mostrou melhora no jogo do Alvinegro no terço final do campo; treinador Paulo Autuori avaliou a atuação como positiva

Lance

Lance

Lance

O resultado não foi o esperado, mas já houve uma mudança no desempenho. A estreia de Salomon Kalou pode ter sido marcada pelo balde de água fria com o empate sem gols diante do Coritiba, no Estádio Nilton Santos, pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro. Por outro lado, o marfinense mostrou, em um jogo, que a produção do Alvinegro pode mudar.

Mesmo sem ter entrado em campo há mais de oito meses, Kalou não jogou na última linha do Botafogo. Pelo contrário, foi o homem pelo lado direito do meio-campo e apareceu com frequência na recomposição no campo defensivo. Aos 35 anos, foi um dos jogadores do Alvinegro que mais correu.

O ataque foi o setor que Kalou teve maior influência. Mesmo com um jogo, a produção ofensiva do Botafogo no terço final já apresentou melhora - vale ressaltar que o time em si não evoluiu no quesito de movimentações no setor, mas que a evolução passou pelas movimentações e jogadas criadas de forma individual pelo marfinense.

Era comum que Kalou saísse do lado direito e aparecesse no meio, fazendo um movimento em diagonal. O mapa do marfinense abria espaço para avanços de Kevin nas costas de William Matheus, lateral do Coritiba, e aumentava a produção do Botafogo no setor central do ataque. Os outros jogadores de ataque do Glorioso, contudo, não acompanharam a produção do camisa 8.

Kalou deu dois passes que geraram finalizações, uma obrigando Wilson a fazer boa defesa em chute de Bruno Nazário. Mesmo em um jogo e com pouco mais de duas semanas de treinamento com o elenco do Botafogo, o marfinense melhorou - mesmo que apenas pelos seus próprios movimentos - a produção ofensiva do Alvinegro. Por outro lado, é preciso que todo o sistema acompanhe o ritmo, já que o Glorioso teve, mais uma vez, dificuldade com a bola no pé.

O marfinense foi alvo de elogios de Paulo Autuori após a partida. O treinador do Botafogo afirmou que não esperava que Kalou atuasse por 87 minutos e, além disso, analisou que essa movimentação em diagonal pode ser importante para o funcionamento ofensivo da equipe. Durante a partida, foi possível notar que os dois conversaram com certa frequência.

A atuação do Botafogo, em termos gerais, foi decepcionante. Com exceção de Kalou e alguns momentos no primeiro tempo, o time não mostrou reação para criar jogadas e ficou preso nas próprias pernas. De qualquer forma, a atuação de Salomon Kalou mostra que o marfinense pode ser um caminho para uma possível melhora.