Entenda por que o São Paulo precisa vender mesmo após a saída de Antony

Orçamento do São Paulo prevê 33 milhões de euros em vendas neste ano. Venda de Antony renderá 23 milhões, mas não entra nesta conta

Lance

Lance

Lance

A diretoria do São Paulo não esconde que será preciso fazer dinheiro com venda de atletas ainda neste ano para conseguir cumprir o orçamento. A venda de Antony para o Ajax (HOL) aproxima o clube da meta que consta no documento, mas não muda o cenário.

O orçamento aprovado para 2020 prevê 33 milhões de euros em negociações (na época da aprovação, significavam R$ 154 milhões, enquanto hoje são R$ 208 milhões). O Ajax (HOL) pagou 7 milhões de euros por 20% de David Neres que ainda pertenciam ao Tricolor e vai pagar 16 milhões por Antony, totalizando 23 milhões. Em tese, restariam 10 milhões de euros a serem realizados, mas o clube encara essas vendas como se tivessem sido feitas no ano passado. Portanto, não entram na conta de 2020.

- Quando fizemos o orçamento, havíamos considerado que essa negociação já teria sido feita. Em termos de orçamento, os 33 milhões de euros de meta continuam. Esse valor da venda do Antony era algo que esperávamos para o ano passado, algo na ordem dos 20 milhões de euros. Por entender que as propostas que chegaram não eram as ideais, a gente não fez isso, mas no orçamento considerávamos que teria sido feita no ano passado. Nós necessitamos fazer venda para esse ano, sim. Não precisa ser só um jogador, uma venda de 20 ou 25 milhões de euros. Pode ser mais de um jogador também, com valores menores, mas é necessário ainda para o ano - disse o diretor financeiro do São Paulo, Elias Albarello.

Quem desperta maior cobiça do mercado europeu é Igor Gomes, que foi colocado na mira do Real Madrid por veículos de imprensa espanhóis. O São Paulo ainda não foi consultado, mas sabe que o atleta está em processo para tirar passaporte português, o que facilitaria sua entrada em um clube do Velho Continente.

Mais, atacante das categorias de base, deve ser negociado com o Barcelona. O clube catalão vai pagar 1 milhão de euros pela exclusividade de compra, a ser efetivada no meio do ano - se por ventura ele não for para lá, o São Paulo recebe a quantia do mesmo jeito.

Em 2019, o São Paulo fez R$ 97 milhões em negociação de atletas, já descontando as fatias que ficaram com terceiros. A diretoria considerava necessário ter feito cerca de R$ 80 milhões a mais, por isso considera que a saída de Antony preenche esta lacuna.

Curiosamente, apenas um jogador vendido em 2019 fazia parte do elenco principal: Lucas Fernandes. Rodrigo Caio saiu antes do início da temporada, enquanto três garotos revelados em Cotia foram vendidos antes mesmo de estrearem profissionalmente. Uma fatia considerável deste montante veio de bônus por metas alcançadas por atletas negociados anteriormente, como Maicon, Neres e Thiago Mendes.