Futebol Entenda como 'mentoria' interna tem ajudado na adaptação dos jovens do Corinthians

Entenda como 'mentoria' interna tem ajudado na adaptação dos jovens do Corinthians

Mancini tem valorizado frequentemente a relação dos mais velhos com os garotos do elenco do Timão. Mescla tem ajudado na adaptação daqueles que sobem ao profissional

Lance
Lance

Lance

Lance

Ninguém discorda que os grandes destaques do Corinthians nesta temporada têm sido os jovens que foram agregados ao elenco profissional recentemente. No entanto, para que isso aconteça, há um trabalho importante sendo feito internamente, não só pelos membros da comissão técnica, mas principalmente pelos jogadores mais velhos, que têm sido mentores da garotada corintiana.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Paulistão-2021 clicando aqui

GALERIA
> Veja 30 astros que jogaram por times do Nordeste e você não lembra

Quem diz isso, e com certa frequência, é o técnico Vagner Mancini, incumbido dessa tarefa de utilizar a base neste ano complicado para o clube. Chefiando um grupo bastante heterogêneo em termos de idade, rodagem e conquistas, o comandante alvinegro não se incomoda em "delegar" algumas funções que trabalhem a adaptação do jovem e vê com bons olhos a ação dos veteranos.

- O mais importante é ser sensato, entender os processos, fazer tudo com maturidade para que você possa passar ao atleta também segurança, porque se não gera insegurança. Isso é desgastante, o que nos chama atenção diante do que eu vi hoje, foi isso, a segurança que o time jogou, a segurança que os atletas jovens estão adquirindo ao lado de experientes, porque não podemos esquecer que os mais experientes estão ajudando na maturidade deles - disse Mancini após a vitória sobre o Santos antes de completar:

- Tenho que exaltar os que jogaram hoje, mas também os que têm constantemente colaborado para isso. Diversas vezes já vi o Gil falando com Raul Gustavo, o Fagner com o João Victor, o Fábio Santos com o Piton, porque tudo isso que foi anunciado que aconteceria, está acontecendo. Todos precisam saber seu lugar e a gente não pode se entusiasmar demais, porque quando ganha não é tudo certo, quando perde não tá tudo errado. Tem muitas etapas e essas etapas quem dirige tem que ter maturidade - acrescentou.

Mas não são só esses citados por Mancini que têm feito esse tipo de "mentoria" com os jovens. Cássio com Matheus Donelli, e Jô com Cauê são outras duplas que têm trocado experiências sobre a posição em que atuam, o que tem sido comemorado internamente pelo departamento de futebol, já que a relação fica longe de ser de disputa ou de intimidação, mas sim de referência, de conselhos e de apoio. Isso tem adiantado etapas no processo de adaptação dos garotos.

- Os mais velhos já foram mais jovens, já participaram de momentos como esses, então é importante falar que a vida se renova, a vida é cíclica. Com sabedoria e justiça todos vão se encaixar, temos uma temporada longa, a pandemia encavalou os jogos, então todo mundo vai ter chance de jogar, o importante é o Corinthians obter vitórias, conquistas, e ai o trabalho de todos é reconhecido - declarou Mancini no último domingo.

Com duas (ou três) competições em andamento ao mesmo tempo, esses jovens serão cada vez mais utilizados pelo treinador, que vai rodar o elenco para preservar o físico do grupo e dar rodagem a quem está no processo de amadurecimento. Os resultados dessa lapidação já estão sendo vistos em campo, e certamente os mais velhos têm papel fundamental nisso tudo.

Últimas