Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Entenda a situação de Gerson no Flamengo com De La Cruz encaixado na posição no meio-campo de Tite

Coringa vem se recuperando de uma cirurgia renal

Futebol|Do R7

Lance
Lance Gerson voltou aos treinos sem bola no Flamengo (Gilvan de Souza/CRF) Lance

Longo dos gramados há mais de um mês por conta de um problema renal, Gerson voltou aos gramados do Ninho do Urubu na última quarta-feira (27). O meia correu pelo gramado do CT do Flamengo, mas segue sem treinar com bola.

No início do mês, o camisa oito realizou uma cirurgia no rim e retirou o cateter das vias urinárias na última semana. No entanto, o coringa está fora dos planos do clube para as duas finais do Campeonato Carioca por orientação médica.

No início da temporada, Gerson vinha sendo titular absoluto do Flamengo no estadual com exceção do duelo contra o Volta Redonda, onde Tite optou pela escalação de uma equipe alternativa. No entanto, De La Cruz recebeu oportunidade na função do meia e vem aproveitando muito bem as suas chances.

Embora não tenha marcado gols e dado apenas uma assistência, o uruguaio é uma espécie de motor do meio de campo do Rubro-Negro. O reforço vindo do River Plate é uma peça que é essencial para dar equilíbrio ao time contribuindo defensivamente e levando sua equipe ao ataque.

Publicidade

Nesse momento, De La Cruz atua entre Pulgar e Arrascaeta, mas com muita liberdade e mobilidade, o que faz com que consiga circular e estar em todos os pedaços do campo. Não há dúvidas de que é um dos jogadores mais importantes do elenco, além de também ser um coringa.

Em diversas coletivas, Tite ressaltou a importância da equipe ter mais de uma forma de jogar, o que deixou claro que o treinador não deverá se acomodar com o 4-3-3 que vem dando certo. Com isso, Gerson pode ter a oportunidade de buscar uma vaga como titular em um novo esquema.

Próximo do início de um período chave de 2024 com o início da Libertadores, Brasileirão e participação na Copa do Brasil, o comandante deve priorizar o que vem dando certo nas principais competições. Mas outras peças ganharão oportunidades devido ao calendário inchado a partir de abril.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.