Futebol Em meio a greve, presidente do Cruzeiro dá palestras na Europa

Em meio a greve, presidente do Cruzeiro dá palestras na Europa

Sérgio Santos Rodrigues está em evento em Portugal que discute as dificuldades na condução de um clube de futebol

Lance
Enquanto jogadores cobram salários atrasados e entram em greve, presidente está na Europa

Enquanto jogadores cobram salários atrasados e entram em greve, presidente está na Europa

Igor Sales / Cruzeiro

O Cruzeiro tem mais um triste capítulo em sua recente história com a paralisação dos jogadores do clube pelos atrasos salariais. Enquanto isso, o presidente Sérgio Santos Rodrigues está em Portugal, onde participa de um curso sobre gestão no futebol e não está respondendo pelo clube no momento, em meio a mais uma crise no time mineiro, que deverá jogar pelo terceiro ano seguido a Série B do Campeonato Brasileiro.

A ausência de Sérgio no clube tem gerado ainda mais resistências a seu nome para o torcedor e internamente. O mandatário não tem boa relação com o principal parceiro comercial do clube, Pedro Lourenço, que expôs publicamente sua insatisfação com a atual gestão cruzeirense.

Outra viagem de Sérgio Santos Rodrigues à Europa, no fim de setembro, quando foi a Madrid, na Espanha, para um curso de gestão e capacitação promovido pela Fifa, gerou uma série de críticas, pois o clube azul está instável dentro e fora de campo. Sérgio alegou que a viagem já estava programada e terá de voltar ao Velho Mundo em janeiro, dessa vez para a Suíça.

Com as chances de acesso praticamente zeradas, o Cruzeiro agora terá de se organizar para 2022 e tentar um projeto vencedor para retornar à elite nacional. E a nova “treta” com que a Raposa tem de lidar é a confirmação da paralisação dos jogadores, que não vão se reapresentar nesta quinta-feira, após a folga depois do jogo contra o Botafogo, pela Série B.

O clube azul fez o pagamento de uma folha para o time profissional, administrativo, base e feminino. Porém, ainda há pendências, e as incertezas de que a os vencimentos serão postos em dia geram forte insatisfação interna.

Solucionar os constantes atrasos financeiros será vital para conseguir manter o técnico Vanderlei Luxemburgo para 2022, já que uma das suas exigências era que os salários ficassem em dia. A Raposa ainda não se manifestou sobre o caso.

'Dança das cadeiras': Crespo é o 15º técnico demitido no Brasileirão

Últimas