Futebol Em dois tempos distintos, Fluminense vira duelo contra o Santos, mas deixa vitória escapar na Vila Belmiro

Em dois tempos distintos, Fluminense vira duelo contra o Santos, mas deixa vitória escapar na Vila Belmiro

Sem Diniz à beira do campo, Tricolor não faz um bom primeiro tempo, mas vira sob a batuta de Ganso. Mudanças não surtem efeito, e time é castigado com empate na Vila

Lance
Lance

Lance

Lance

Diante da maratona de jogos, o Fluminense tinha o desafio de conquistar mais três pontos para encostar no líder. Apesar de um primeiro tempo em que faltou intensidade e dinamismo, o time reagiu na etapa final e teve a chance de sair com a vitória. Mas as mudanças não surtiram efeito e pontos importantes ficaram pelo caminho.

INÍCIO LENTO E SEM OBJETIVIDADE

Sem Fernando Diniz à beira do campo, o Tricolor colocou em campo sua espinha-dorsal apenas sem Manoel. O início do jogo foi de 70% de posse de bola, porém de maneira lenta e improdutiva sem força para incomodar a meta de João Paulo.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

Seja pela falta da vibração do treinador, que estava suspenso, ou pelo desgaste físico, o time começou a partida em outra sintonia. Os donos da casa também não apresentaram intensidade e abriram o placar em um lance incomum. A bola praticamente tocou na nuca do zagueiro Luiz Felipe e enganou Fábio.

No fim do primeiro tempo, o Fluminense arriscou mais e passou a levar perigo. Ganso cobrou falta e acertou o pé da trave, enquanto Samuel Xavier e Nonato buscaram finalizações, mas o arqueiro santista brilhou e assegurou a equipe paulista à frente no placar.

REAÇÃO SOB A BATUTA DO MAESTRO

Os visitantes precisavam mudar o ritmo para tentar sair de campo com a vitória. Para isso, o auxiliar técnico Eduardo Barros colocou Martinelli no lugar de Luccas Claro e recuou André para a zaga. Com mais poderio ofensivo, o Fluminense iniciou a pressão e o empate veio de um lance despretensioso.

+ Ganso explica gestos para a torcida do Santos e diz que Fluminense deixou escapar dois pontos na Vila


Matheus Martins se deslocava para a esquerda quando foi derrubado na área por Sandry, de maneira infantil. Ganso, que era o melhor do time, bateu, com categoria, e deixou tudo igual no placar. Como comemoração, o camisa 10 fez o gesto de um verdadeiro maestro e depois da partida citou o carinho pelo time da Vila Belmiro, onde foi feliz.

Dois minutos depois, após um lançamento, a bola tocou em Cano e sobrou para Jhon Arias. O colombiano teve liberdade para bater, de chapa, e não dar chance de defesa para o arqueiro santista. O jogo parecia nas mãos dos Flu, que poderia diminuir a diferença para o líder Palmeiras.

RECUO DESNECESSÁRIO E CASTIGO NO FIM

O resultado parecia confortável, mas deu lugar a uma postura desnecessária e que colocou tudo a perder, Eduardo recuou o time cedo demais ao colocar Wellington e David Duarte nos lugares de Ganso e Matheus Martins. O Santos, então, se arriscou e Fábio salvou os visitantes.

+ Eduardo Barros analisa atuação do Fluminense na Vila Belmiro e critica arbitragem: 'Incompetência do VAR'

Ao chamar o adversário, o Tricolor se expôs ao perigo e em um rápido contra-ataque o lado esquerdo deu espaço para a bola chegar no jovem Marcos Leonardo. O talentoso atacante finalizou e empatou para o Peixe. O time ainda flertou com a derrota, mas conseguiu segurar a igualdade no placar e, diante do cenário, deixou dois pontos pelo caminho.

Para um time que pretende disputar o título, os pontos desta segunda farão falta. Empate na Vila contra o Santos é um bom resultado, mas diante do contexto teve sabor de derrota. Mesmo assim, o Fluminense aumentou a invencibilidade para 12 partidas e segue no G4, mas a 7 pontos do Palmeiras.

+ Após empate na Vila Belmiro, Fluminense terá dois desfalques para o duelo contra o Cuiabá no Maracanã

No domingo, a equipe voltará a campo contra o Cuiabá, às 16h, no Maracanã. Manoel e Fernando Diniz estarão de volta, mas André e Caio Paulista receberam o terceiro amarelo.

Últimas