Futebol Em apresentação no São Paulo, Carpini esbanja confiança e promete 'olho no olho' com elenco

Em apresentação no São Paulo, Carpini esbanja confiança e promete 'olho no olho' com elenco

Treinador também revelou técnicos que servem como referência na sua carreira

Lance
Lance

Lance

Lance

Thiago Carpini esbanjou personalidade em sua apresentação como novo técnico do São Paulo. O treinador foi enfático ao dizer que sua pouca experiência no futebol de Série A não tem relação com a sua competência.

➡️ Siga o Lance! no WhatsApp e acompanhe em tempo real as principais notícias do esporte

- Ouvi muito sobre idade, tem sido pauta e acho aceitável. Me preparei para esse momento, vejo uma oportunidade grande. Capacidade não está atrelada a idade, todos já tiveram a primeira vez, essa é a minha primeira em um clube deste tamanho. Só nos tornamos mais experientes passando por elas.

O treinador também fez questão de classificar a escolha do clube como "corajosa", por dar oportunidade a um nome da nova geração para substituir um trabalho vencedor.

- Antes da idade, enalteço a coragem do São Paulo em me oportunizar. Vejo um grande desafio, mas prefiro enxergar o copo meio cheio. Para mim facilite chegar no clube em um momento como esse, campeão e vitorioso, processo que vem se construindo.

Ao longo da entrevista, que durou quase uma hora, o técnico foi bastante sincero. Questionado sobre a maneira como lida com seus atletas, Carpini reforçou essa sua característica e deixou claro que vai administrar o vestiário de maneira franca, apesar da idade.

- Vou lidar da mesma forma que cheguei aqui, com simplicidade e a mesma verdade, olhando nos olhos dos atletas e falando o que precisa ser falado. Cria um bom relacionamento falando a verdade, me colocando no lugar do atleta para tomar algumas decisões. Temos procurado uma equipe competitiva para o ano do São Paulo.

Por fim, o novo técnico do Tricolor fez questão de citar algumas de suas referências na profissão. Além de Muricy, atual coordenador técnico do clube, Carpini citou nomes do Brasil e do exterior que inspiram seu trabalho, além de um nome pouco conhecido na mídia, mas de suma importância na carreira do profissional.

- Gosto muito do Dorival. Gosto muito do estilo de jogo do Diniz. Também a gestão de pessoas do Renato Gaúcho, do qual fui atleta. De fora, gosto muito do Guardiola, alguns conceitos do Klopp. E também o Evaristo Piza, que me deu a primeira oportunidade, quando eu ainda cursava educação física. Sempre cito ele como forma de gratidão, como alguém que me estendeu a mão.

Últimas