Dirigente do United diz que números por Kane são irreais durante a crise

Ed Woodward planeja adotar uma postura mais conservadora no próximo mercado de transferências. Clube tinha muitos alvos para melhorar o plantel antes da pandemia

Lance

Lance

Lance

Ed Woodward, vice-presidente executivo do Manchester United, alertou que o clube reduzirá seus gastos na próxima janela de transferências e não poderá quebrar o recorde com a contratação de Harry Kane. O dirigente também disse que por conta da crise provocada pelo coronavírus, o próximo mercado não será normal em termos de acordos de grande sucesso. Em entrevista ao site oficial do clube, o inglês afirma que os números atuais são irreais.

- A especulação sobre transferências de jogadores individuais por centenas de milhões de libras neste verão parece ignorar as realidades que o esporte enfrenta. Nossa prioridade é o sucesso da equipe, mas precisamos ter visibilidade do impacto financeiro.

Dessa forma, não é possível prever os movimentos dos Red Devils neste mercado. O clube inglês é um dos que possui mais jogadores como alvos, mas Kane só sairá por 200 milhões de libras (quase R$ 1,4 bilhão), enquanto o Dortmund pede 100 milhões de libras (R$ 696 milhões) por Sancho. Além dos dois, o time gostaria de contar com Jack Grealish, James Maddison e Jude Bellingham.

É provável que um dos clubes mais ricos do mundo adote uma postura mais conservadora neste momento de crise. A prioridade de Woodward é retomar o Campeonato Inglês para concluir a temporada, mas de maneira segura.