Futebol Diretor Financeiro do Corinthians revela redução de folha salarial e desejo de alongar dívidas

Diretor Financeiro do Corinthians revela redução de folha salarial e desejo de alongar dívidas

Em live com membros da Gaviões da Fiel, Wesley Melo afirmou que gasto com o futebol já foi enxugado em R$ 1,7 milhão desde o início do ano

Lance
Lance

Lance

Lance

Em uma live promovida pela principal torcida uniformizada do Corinthians, a Gaviões da Fiel, na noite desta quinta-feira (8), o Diretor Financeiro do Timão, Wesley Melo, que também é membro da organizada, afirmou que o clube já reduziu R$ 1,7 milhão na folha salarial do elenco corintiano nos primeiros meses de 2021.

Melo destacou a importância desses cortes serem feitos diretamente no futebol para que surtam efeito real nos cofres da instituição.

- Projetamos uma redução no futebol. O grande custo do nosso clube é o futebol, é na parte de pessoas. Se cortarmos coisas na sede social, não terá o resultado que a gente espera. Temos feito isso. Muitos contratos não foram renovados. A folha estava em R$ 14 milhões e alguma coisa. Agora em fevereiro e março está na casa dos R$ 13 milhões. A redução está em torno de R$ 1,7 milhão - disse Wesley.

Esse enxugamento representa cerca de 10% da folha corintiana, e é representada através do empréstimo recente de alguns atletas, como o meia Ederson, ao Fortaleza, e o atacante Jonathan Cafú, ao Cuiabá.

A ideia é que no decorrer da temporada a redução seja ainda maior, chegando a 20%. Para isso, Wesley Melo admite a necessidade de renegociação de dívidas para 'ter fôlego'.

- Vamos renegociar com nossos credores. A gente precisa alongar, ter fôlego. Seremos transparentes com nossos credores, sendo justo com eles para honrar cada compromisso. Temos também que reduzir nossos custos, colocamos um número de 20% neste ano, e buscar incremento de receitas - comentou o Diretor.

O membro da diretoria corintiana classificou o percentual estipulado de diminuição dos custos como 'mágico', mas detalhou como o estafe financeiro do clube tem trabalhado para alcançar a meta.

- Estamos trabalhando em várias frentes, uma foi a contratação da Falconi, uma das principais empresas de gestão do Brasil. É um trabalho de base na gestão administrativa e financeira. Uma outra frente é a negociação com a KPMG, que está vindo para ajudar com a dívida de mais de R$ 950 milhões que nós temos. Eles vêm para nos ajudar, estão acostumados a trabalhar com isso. É uma inspeção e vamos definir uma estratégia para negociarmos com nossos credores. Por outro lado, estamos trabalhando com um número mágico de 20% de redução. Estamos trabalhando para sair dessa situação", explicou Wesley Melo, reforçando o trabalho que vem sendo feito pelos funcionários de seu departamento - pontuou.

Investimentos não são descartados

Ainda assim, o responsável pelas finanças do Timão não descartou que sejam feitos investimentos pontuais para reforçar o elenco.

- Pode ser que tenha, pode ser que o Roberto de Andrade, o Alessandro e o Mancini identifiquem que precise contratar alguém. Não adianta cortar o investimento e não ter um time competitivo. Para ter um equilíbrio das nossas finanças, precisamos ter um time competitivo por conta das premiações, que nos interessam muito, disse Melo, que explicou a perda financeira com as quedas de posição do Corinthians nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro de 2020.

- Um exemplo prático: terminamos o Brasileirão em 12º, três rodadas antes a gente brigava pela oitava colocação. Em oitavo, a premiação era de R$ 5 milhões. Então, em três rodadas, perdemos R$ 5 milhões. Precisamos de um time competitivo, até para resolver os problemas financeiros. O Corinthians precisa brigar por títulos, equilibrando as finanças. Não é um paradoxo, até pelas premiação dos campeonatos - comentou o Diretor.

Entre as maiores dívidas atuais do Corinthians é com fornecedores, encargos sociais, direitos de imagem e pagamento de empréstimos.

Últimas