Futebol CT, CEO e motivação: o que Durcesio Mello precisa fazer a curto prazo como presidente do Botafogo

CT, CEO e motivação: o que Durcesio Mello precisa fazer a curto prazo como presidente do Botafogo

Na zona de rebaixamento do Brasileirão, novo presidente afirma que melhora passa pelo empenho dos jogadores; Alvinegro tem obras no CT paradas e buscas por profissional

Lance
Lance

Lance

Lance

Uma bomba relógio. Assumir o Botafogo, na altura atual do campeonato, parece ser um desafio para qualquer um. Durcesio Mello, contudo, aceitou encarar esta luta de frente. O advogado, que passou pela cerimônia de posse no salão nobre de General Severiano na última segunda-feira, começa a trajetória como presidente a partir desta terça-feira, dia 5 de janeiro de 2021.

O advogado ocupará a cadeira mais importante do clube de General Severiano durante o quadriênio 2021-2024. Para isto, terá que assumir problemas que devem resolvidos e/ou revistos em um período de curto prazo. O LANCE! dividiu em categorias:

VEJA A TABELA DO BRASILEIRÃO

CEO
A busca por um profissional de mercado para comandar as ações do clube é a principal promessa de Durcesio Mello para a gestão que inicia em 2021. O nome escolhido ficará abaixo apenas dele e de Vinícius Assumpção, vice-presidente geral. O L! trouxe que o advogado fechou com a Exec, empresa de São Paulo, que ficará responsável pela escolha e filtro de qualidade do nome para a função.

Para o mandatário, é necessário ter uma pessoa com experiência para tratar o Botafogo como uma empresa. Após a escolha do CEO, o profissional trará ainda mais três diretores - que ficarão nas alas de esporte, comercial e administrativa - para ajudá-los a comandar o clube.

ALÉM DO PROFISSIONAL...
Durcesio não estipula ou tampouco garante datas, mas um desejo pessoal é que tenha um CEO contratado e trabalhando até março. Antes disto, contudo, o clube não pode ficar parado em busca de apenas um profissional. Em entrevista ao LANCE! após a cerimônia de posse, o presidente explicou os passos do Botafogo para os próximos dias.

- Temos um plano de 100 dias, que foi apresentado dia 29 de dezembro. Trata de diversas pautas, do lado comercial, financeiro, jurídico e o futebol. Nesse plano tem metas para executarmos em 100 dias. Passa pela contratação de um diretor de futebol, uma negociação rápida de dívidas de curtos prazo que vão acontecer em 2021 e algumas coisas da parte jurídica. Eu quero recuperar a CND da Associação Olímpica Botafogo, que é muito factível de conseguir com pouco dinheiro, é importante para os esportes olímpicos - afirmou.

CT
O centro de treinamentos era um dos principais elementos da gestão passada, liderada por Nelson Mufarrej. O espaço, contudo, pouco evoluiu no sentido de obras nos últimos dois anos. Em 2020, passou a se considerar que o local seria devolvido completamente os irmãos Moreira Salles, que adquiriram e repassaram ao Alvinegro, para que eles pudessem das obras.

Durcesio, contudo, afirmou que João e Walter Moreira Salles se afastaram das obras do Espaço Lonier, que continua caminhando a passos de um bebê. O presidente garantiu que uma das prioridades é retomar contato com os irmãos, estabelecer um padrão de confiança e, assim, ver as obras no CT voltando a todo vapor.​

- O CT está parado, só tem a grama de três campos. Nada foi feito de obra porque o Botafogo não tem dinheiro e os irmãos Moreira Salles, que iriam ajudar, saíram por algumas divergências. Eu tenho que retomar a conversas com eles. Eu vou ter um plano B em relação ao CT, alugar e pagar uma comissão para a base, mas lá o Espaço Lonier está parado. Eles querem ver um modelo mais claro, então tenho que iniciar conversas com eles para saber o que pode ser exequível para as obras do local - admitiu.

O FANTASMA DA SÉRIE B
Durcesio assume o Botafogo sendo o 19º colocado do Campeonato Brasileiro com 23 pontos, a cinco pontos de distância do Bahia, primeiro time fora da zona de rebaixamento. A onze rodadas do fim, a reta final da competição chegou e o Alvinegro precisa de uma reação para tentar escapar da degola.

O novo presidente, por conta das mudanças causadas pela pandemia do novo coronavírus, fez questão de frisar que não pode fazer mudanças diretas no elenco do Botafogo. Por isto, busca explorar a parte motivacional dos jogadores - o mandatário, inclusive, elogiou a postura dos atletas.

Não tem o que mudar. O que está se fazendo é motivacional. Eu falei com os jogadores no sábado que cabe a eles mudar isso, esse time do Botafogo não é pior que muitos times que estão ali na Série A. Tenho acompanhado os treinamentos e estou impressionado. O mais importante é que acho o elenco motivado e unido. Isso poderia ser um problema, eu pensava "será que podia ter panelinha?" Não tem nada disso. Viajei com o time. Estou muito animado. Acho que eles podem transformar esse otimismo em realidade - comentou.

FINANÇAS
Se já não bastasse o dilema vivido na tabela do Brasileirão, o Botafogo também convive com problemas fora das quatro linhas. O clube de General Severiano tem uma dívida avaliada em mais de R$ 800 milhões.

Em dezembro, antes de assumir como presidente, Durcesio Mello criou o Grupo de Trabalho de Transição (GTT), reunindo 20 profissionais de diferentes áreas para apurar as questões e valores emergenciais do Botafogo. Por mais que admita que o valor líquido do caixa negativo assuste, o mandatário fez questão de afirmar que sabe qual caminho está traçando.

- O principal problema do Botafogo são as dívidas, principalmente as cíveis e trabalhistas, que fazem nossas receitas serem bloqueadas e penhoradas. Não fui surpreendido por isso porque já sabia. Nesse Grupo de Trabalho de Transição a gente conseguir evoluir um pouco nisso aí. Infelizmente é um pouquinho pior do que eu pensava, mas não vou falar que "Ah, peguei o clube na pior situação da história". Isso é discurso. Eu já sabia, sei onde estou me metendo e vou encarar os desafios - finalizou.

Últimas