Futebol Corinthians nega suposto surto de Covid-19 após eleições no clube

Corinthians nega suposto surto de Covid-19 após eleições no clube

Timão divulgou nota de repúdio nesta terça-feira para desmentir informação do jornalista Jorge Nicola, que informou que haveria 300 casos entre dirigentes, conselheiros e sócios

Lance
Lance

Lance

Lance

O Corinthians iniciou a manhã desta terça-feira soltando uma nota de repúdio para negar informação do jornalista Jorge Nicola, sobre um suposto surto de Covid-19 após as eleições do clube, no fim de novembro. Para o Alvinegro, é inverossímil que haveria 300 casos entre dirigentes, conselheiros e sócios.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

GALERIA
> Segue o tabu! Veja os jogos da sequência invicta do Corinthians em Majestosos na Neo Química Arena

Segundo o Timão, há testes quinzenais de controle para diretores e funcionários e no última rodada deles, já haveria tempo hábil para detectar o surto de coronavírus que teria sido impulsionado pelas eleições presidenciais e do Conselho, que aconteceram em 28 de novembro, no Parque São Jorge.

Além disso, o clube alega que todos os protocolos foram seguidos para a realização do pleito, que foi autorizado pela Prefeitura de São Paulo. Naquele dia, Duílio Monteiro Alves foi eleito o novo presidente do Corinthians, sem contar os 200 novos conselheiros que irão formar o Conselho Deliberativo.

Confira a nota oficial do Timão divulgada nesta terça-feira:

"O Sport Club Corinthians Paulista repudia publicamente a inverídica nota publicada pelo jornalista Jorge Nicola na última segunda (14.dez) sobre o que ele descreve como "um surto de Covid-19" durante a eleição do clube. Segundo a nota, o clube somaria "300 casos entre dirigentes, conselheiros e sócios" – o que significaria mais de 10% de todo o colégio eleitoral corinthiano.

O repúdio vem do fato de que o clube se organizou antecipadamente para a eleição segundo os protocolos vigentes, realizando-a num espaço amplo, com acesso restrito, uso obrigatório de máscaras, oferta abundante de álcool gel em suas dependências e fiscalização constante de aglomerações, conforme presenciado pela imprensa no local.

Além disso, o clube faz um controle quinzenal de testes. Logo após a votação, foi feita mais uma rodada entre diretores e funcionários. Dos 83 testes de 4 de dezembro, apenas um registrou positivo no dia 4 de dezembro, período em que qualquer infecção ocorrida na eleição poderia ser detectada. Com base nesse dado, um surto na casa das centenas se torna flagrantemente inverossímil.

Por fim, é importante ressaltar que a Grande São Paulo só retornou à fase amarela do Plano do Governo do Estado dois dias depois da eleição no clube, e que o pleito foi autorizado pela Prefeitura de São Paulo mediante apresentação de alvará de funcionamento compatível com o eleitorado e das garantias sanitárias para a segurança da assembleia.

Atenciosamente,
Sport Club Corinthians Paulista"

Últimas