Corinthians chega a três meses de salários atrasados e pode perder jogadores com ações na Justiça

Clube alvinegro deve valores referentes a CLT e direito de imagem e corre risco de sofrer ações na Justiça para a rescisão do contrato. Dinheiro da venda de Pedrinho pode ajudar

Lance

Lance

Lance

O Corinthians chegou a três meses de salários atrasados (CLT e imagem). Com isso, o clube corre o risco de perder jogadores de graça em eventuais ações na Justiça, já que a Lei Pelé dá direito a rescisão unilateral do contrato em caso de inadimplência igual ou superior a 90 dias.

A informação sobre a dívida foi divulgada primeiramente pelo 'Meu Timão' e confirmada pelo LANCE!. O clube alega que reconhece o débito e espera quitar a dívida nos próximos dias.

Vale ressaltar que o pagamento deveria ter sido realizado na sexta-feira (5), mas sem a liberação do dinheiro da venda de Pedrinho para o Benfica, o dinheiro não foi debitado na conta dos jogadores. O Timão já chegou a um acordo com um banco estrangeiro para o recebimento do valor (cerca de R$ 120 milhões), mas ainda não recebeu a quantia.

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Corinthians precisou fazer um acordo com os atletas para a redução de salários. Os salários foram cortados em 25%, e o clube arcaria com 50% dos valores das férias e pagaria a outra metade no fim do ano.

Segundo apurado pelo LANCE!. apesar do incômodo com a situação financeira, a diretoria alvinegra não vê ameaça de ações na Justiça para rescisões contratuais, já que o relacionamento com o elenco é bom, sem previsão de processos trabalhistas.

Val lembrar que, em março, o Corinthians perdeu um dos patrocínios, a MajorSports, o que ajudou a agravar a crise financeira do clube.