Flamengo

Futebol Coordenador detalha processo de observação de Peralta, reforço paraguaio da base do Flamengo

Coordenador detalha processo de observação de Peralta, reforço paraguaio da base do Flamengo

O volante já está integrado ao Ninho do Urubu e reforça o time Sub-20 do Flamengo

Lance
Lance

Lance

Lance

Um processo de dois anos, com observação in loco e análise por vídeo do atleta, resultou na chegada de Fabrízio Peralta, de 18 anos, ao Ninho do Urubu. O volante paraguaio reforça a equipe Sub-20 do Flamengo - por empréstimo até o final de 2021, com opção de compra - após ser acompanhado pela equipe de captação de base do clube na Copa Libertadores Sub-20 de 2020, pelo Cerro Porteño, e no Mundial e Sul-Americano Sub-17, pela seleção nacional.

À FlaTV, Thiago Rocha, coordenador da captação da base, detalhou o processo de observação que possibilitou o Flamengo "sair na frente" dos demais clubes que demonstraram interesse no jogador.

- É um processo longo de observação. O Peralta não está aqui à toa. O primeiro representante do clube que foi ao Sul-Americano de 2019, Ricardo Leão, o observou in loco, logo depois os observadores do Brasil o viram no Mundial, e eu estive na Libertadores Sub-20 vendo os seus jogos. Teve um processo de vídeo e um processo in loco até chegar a esse momento de contratação. Vimos, pelo menos, uns 15 jogos do Peralta. É um processo totalmente integrado ao profissional e está se estendendo para a base. O Flamengo sai na frente dos outros clubes - disse o profissional das categorias de base do Ninho do Urubu.

Na entrevista de apresentação dada ao canal do Flamengo, Fabrízio Peralta falou sobre a realização do sonho em vestir o uniforme do clube e sobre os seus primeiros dias de avaliação e treinamento no CT do Ninho do Urubu.

Aos 18 anos, o volante também declarou quais são suas referências em campo: Andrés Iniesta, ex-Barcelona, Thiago Alcântara, do Liverpool, e Cristian Riveros, do Club Nacional (PAR), compatriota que atuou em duas Copas do Mundo.

- O principal é o Andrés Iniesta. Sempre será o primeiro para mim. Depois está o Thiago Alcântara e, depois, Cristian Riveros, que é paraguaio e jogou a Copa do Mundo pela seleção - afirmou Fabrízio Peralta, antes de complementar:

- Me espelho muito nele (Iniesta) na hora de domniar a bola, de ver e controlar o jogo, manter a calma, manter o time focado, distribuir o jogo para a equipe e dar muitas assistências - completou o atleta paraguaio.

Últimas