Companheiro em 2010, Pará fala sobre possível retorno de Robinho ao Santos: 'Ajuda em todos os setores'

Para lateral, volta do Rei das Pedaladas interferirá positivamente dentro e fora das quatro linhas

Lance

Lance

Lance

2020 marca os dez anos da geração santista de 2010. Campeão Paulista e da Copa do Brasil, o time que tinha o protagonismo do trio Ganso, Neymar e Robinho, contava com Pará na lateral-direita. De volta ao Santos desde agosto do ano passado, o camisa quatro comentou sobre a possibilidade do Rei das Pedaladas retornar ao Alvinegro Praiano no segundo semestre.

– Robinho é bem-vindo em qualquer clube, tem muita qualidade e história no futebol. Acompanhamos o que vem se falando na imprensa sobre essa questão, mas sem dúvida nenhuma chegaria para nos ajudar muito – disse.

De acordo com Pará, a repatriação de Robinho faria bem ao clube, tanto dentro, quanto fora de campo.

– A chegada de um jogador com a experiência e bagagem do Robinho ajuda o clube em todos setores, seja técnico, tático e inclusive de marketing. Mas o nosso papel é dentro das quatro linhas, ajudar o time dentro de campo – afirmou.

A diretoria santista já manifestou o interesse na contratação do atacante, tanto através do presidente José Carlos Peres, quanto por meio de membros do Comitê de Gestão. O próprio atleta teria, inclusive, manifestado a pessoas próximas o desejo de voltar ao Peixe. No entanto, ainda não há negociações em andamento.

O Santos possui uma dívida de R$ 4 milhões com o jogador deixada pela gestão anterior, presidida por Modesto Roma Jr., devido a última passagem de Robinho pelo Peixe, entre 2014 e 2015. Contudo, a diretoria atual tem conversado com a empresária do atleta, Marisa Alija, a fim de estender as parcelas. Uma amortização da dívida com o possível salário é uma possibilidade.

No entanto, nos últimos dias um novo problema surgiu para dificultar a repatriação do Menino da Vila ao Peixe, a pandemia de coronavírus. A Fifa solicitou às equipes que estendam os vínculos com os atletas em fim de contrato até o final das competições e, caso isso aconteca, Robinho teria que permanecer no Istambul Basaksehir até o fim do ano. O vínculo do atacante com o clube turco se encerra em julho e a equipe, aparentemente, não manifesta desejo em estender o acordo.