Futebol Com surto de coronavírus, Al Hilal é excluído da Champions da Ásia por levar só 11 jogadores a partida

Com surto de coronavírus, Al Hilal é excluído da Champions da Ásia por levar só 11 jogadores a partida

Clube saudita é o atual campeão asiático e encarou o Flamengo na semi do Mundial de Clubes; porém, não tinha o número mínimo de 13 atletas em jogo contra o Shabab Al Ahli

Lance
Lance

Lance

Lance

O time árabe Al Hilal, atual campeão da Liga dos Campeões da Ásia, foi excluído da edição de 2020 da competição devido a um surto de coronavírus na equipe. Com 15 jogadores afastados do elenco, o time só pôde levar 11 jogadores para o confronto com o Shabab Al Ahli, dos Emirados Árabes.

O Al Hilal chegou a divulgar a lista de jogadores relacionados e a escalação que entraria em campo: eram nove jogadores no time titular e apenas dois reservas, ambos goleiros. Porém, o regulamento da competição exige que as equipes tenham 13 atletas, no mínimo.

A equipe saudita ainda tentou o adiamento junto à Federação Asiática de Futebol (AFC) na terça, mas o pedido foi recusado. Portanto, conforme manda o regulamento, a partida foi cancelada minutos antes da bola rolar e o Al Hilal foi declarado desistente da competição.

De acordo com a federação asiática, o Al Hilal teve a opção de inscrever até 35 jogadores no torneio; o time, no entanto, só inscreveu 30. Destes, 27 foram a Doha, no Catar, onde os jogos estão sendo realizados.

Todos os jogos do Al Hilal na competição acabaram desconsiderados. Como há apenas mais uma partida a acontecer no grupo e o Shahr Khodro, do Irã, ainda não pontuou, Pakhtakor (Uzbequistão) e o Shabab Al Ahli estão garantidos na próxima fase.

Outro clube desclassificado por causa dos casos de coronavírus foi o Al-Wahda, dos Emirados Árabes. O caso deles, porém, é um pouco diferente - a equipe sequer chegou a viajar para o Catar.

Últimas