Futebol Com gols de Cavani e Suárez, Uruguai atropela a Colômbia: 3 a 0

Com gols de Cavani e Suárez, Uruguai atropela a Colômbia: 3 a 0

Próximo adversário do Brasil, seleção 'celeste' não tomou conhecimento do rival e se recuperou de derrota para o Equador, pelas Eliminatórias

Lance
Jogadores do Uruguai comemoram gol de Luis Suárez contra a Colômbia

Jogadores do Uruguai comemoram gol de Luis Suárez contra a Colômbia

Mauricio Dueñas Castañeda/EFE 13.11.20

O fato de jogar fora de casa diante da Colômbia foi "ignorado" pelo Uruguai que, no Metropolitano de Barranquilla, aplicou bem sua estratégia de jogo para fazer 3 a 0 e emplacar sua segunda vitória em três rodadas das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

No caso dos colombianos, esse foi o primeiro revés da equipe que ocupa a 6ª posição, com 4 pontos, enquanto a seleção uruguaia é a 4ª, com 6.

Precoce​
Logo no primeiro chute dado pelos uruguaios contra a meta defendida por Daniel Ospina, saiu o gol. Nahitán Nandez e Luis Suárez diminuíram o espaço da zaga adversária que, errando, cedeu a posse para o camisa 8 da Celeste servir Cavani. Ele bateu cruzado, não deu qualquer chance de intervenção para Ospina e abriu o placar ainda com cinco minutos de partida.

Posse de um lado, eficiência de outro
A posse de bola e iniciativa de ser mais ofensiva era, efetivamente, do time da Colômbia. Mas o time de Óscar Tabárez conseguia conter bem os avanços, principalmente com o suporte do lateral-esquerdo Matías Viña, fechando os espaços dentro da grande área e impedindo finalizações mais agudas contra a meta de Martín Campaña.

Por sua vez, mesmo chegando em menor constância, quem esteve mais perto de novamente balançar as redes antes do fim da etapa inicial foram os uruguaios, através de Luis Suárez e Bentancur. O Pistolero deu opção no lado direito na puxada de ataque e serviu o meio-campista, que bateu cruzado e Ospina precisou defender e ainda dar um tapa na bola para evitar com que Cavani, chegando rapidamente, se aproveitasse do rebote.

Vitória encaminhada
Com apenas sete minutos disputados na segunda etapa, o confronto se mostrou tão agitado como lucrativo para o selecionado do Uruguai no Metropolitano. Enquanto Cuadrado e Duvan Zapata pararam em intervenções importantes de Campaña, Bentancur foi derrubado por Jeison Murillo dentro da área e a arbitragem marcou penalidade. Na batida, Suárez foi tranquilo e colocou a bola no canto direito, enquanto Ospina foi para o lado oposto.

Se o ambiente já se mostrava propício para os visitantes aplicarem sua estratégia de solidez defensiva e saída rápida, com o 2 a 0 a situação se tornava ainda mais cômoda para a Celeste e, notoriamente, mais nervosa no aspecto emocional. Algo que, agregado à força da defesa uruguaia, fez com que a Colômbia pouco pudesse fazer nos minutos sequentes contra o gol de Campaña.

Fechou a conta
Tendo entrado na etapa complementar, Darwin Núñez aproveitou o espaço dado pela defensiva dos comandados de Carlos Queiroz e mostrou o porquê de ser peça comentada positivamente em Portugal no seu início de trajetória pelo Benfica. Aos 27, ele recebeu passe na intermediária, levantou a cabeça e bateu com uma mistura de força e precisão no extremo canto direito de David Ospina.

Craque do Real Madrid, Benzema tem coleção de carros de luxo

Últimas