Futebol Com Calleri e Gabriel Neves, São Paulo bate recorde histórico do clube

Com Calleri e Gabriel Neves, São Paulo bate recorde histórico do clube

Tricolor tem, pela primeira vez em sua história, oito atletas estrangeiros simultaneamente em seu elenco. Clube já teve oito estrangeiros em uma temporada, mas não simultâneos

Lance
Lance

Lance

Lance

O São Paulo bateu um recorde na última segunda-feira (30). Ao contratar o uruguaio Gabriel Neves e o argentino Jonathan Calleri, o Tricolor chegou ao maior número de estrangeiros no elenco em sua história. Ao todo, são oito jogadores que não nasceram no Brasil, divididos em cinco nacionalidades.


CONFIRA A TABELA ATUALIZADA E SIMULE OS JOGOS DO BRASILEIRÃO DE 2021!

Os jogadores estrangeiros que estão no São Paulo são: Benítez, Rigoni e Calleri, argentinos; Arboleda e Rojas, equatorianos; Orejuela, colombiano; Galeano, paraguaio; e Gabriel Neves, uruguaio.

O número é inédito em relação à quantidade de estrangeiros simultaneamente no elenco. Durante a temporada de 2016, o São Paulo chegou a ter oito estrangeiros no time, mas não simultaneamente.

Naquele ano, o time contava com os argentinos Buffarino, Calleri, Centurión e Chavez, com o chileno Mena, o colombiano Wilder, o uruguaio Lugano e o peruano Cueva, mas nem todos jogaram juntos, pois Wilder deixou a equipe pouco antes das contratações de Chavez e Buffarini.

O São Paulo teve o elenco com muitos estrangeiros em algumas ocasiões. Confira as temporadas com mais estrangeiros no time:

- 2021 - Oito ao mesmo tempo: Benitez, Rigoni e Calleri, da Argentina; Arboleda e Joao Rojas, do Equador; Orejuela, da Colômbia; Galeano, do Paraguai; e Gabriel Neves, do Uruguai

- 2016 - Oito ao longo da temporada: Buffarini, Calleri, Centurión e Chavez, da Argentina; Mena, do Chile; Wilder, da Colômbia (não simultâneo a Chavez e Buffarini), Cueva, do Peru; e Lugano, do Uruguai.

- 2017 - Sete: Buffarini, Chavez, Gomez e Pratto, da Argentina; Arboleda, do Equador; Cueva, do Peru; e Lugano, do Uruguai.

- 1940 - Seis: Castagno, Juarez e Ponzoníbio, da Argentina; Chemp, da Ucrânia; Záclis, da Romênia; e Squarza, do Uruguai.

- 1953 - Seis: Albella, Di Loreto, Martino, Moreno, Negri e Poy, todos argentinos.

- 2020 - Seis: Arboleda e Rojas, do Equador; Galeano, do Paraguai; Gonzalo Carneiro, do Uruguai; Juanfran, da Espanha; e Tréllez, da Colômbia

O limite para relacionar jogadores estrangeiros para uma partida de alguma competição nacional é de cinco atletas. Assim, três jogadores do atual elenco do Tricolor precisarão ficar de fora dos jogos da equipe, podendo haver um rodízio entre os jogadores não relacionados.

Últimas