Com brilho nos olhos, Jobson revela papo com Jesualdo e diz: 'Santos terá um torcedor em campo'

Volante deve estar entre os titulares no jogo contra o Mirassol, neste sábado, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista, após bom desempenho na Libertadores 

Lance

Lance

Lance

- Já deixei de ver minha esposa, fazer coisas que minha mãe pedia, largava compromissos importantes, só para ver o Santos jogar - explicou Jobson quando a reportagem do LANCE! questionou seu dia a dia de torcedor antes da chegada ao Peixe.

Após um 2019 difícil e de poucas oportunidades com Sampaoli, Jobson está vivendo um sonho. Ele mesmo disse isso, aliás. Jesualdo Ferreira acolheu o volante, viu potencial nos treinos e explicou que ele poderia atuar como todos os outros se estivesse acima da média. Por isso ele deve ser titular neste sábado, contra o Mirassol, às 19h30, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista.

Mais uma oportunidade virá por conta do bom desempenho do volante contra o Defensa y Justicia, na Libertadores. O camisa 8 chegou de surpresa na área e marcou pelo Peixe. E recebeu os parabéns de Jesualdo, que o incentivou na movimentação da área técnica.

- Ele me deu parabéns. Disse que entrei bem no jogo, que foi meu mérito (o gol). Ele dá liberdade. Fala para quando você ver o espaço, ter a liberdade para fazer o que eu fiz (chegar de surpresa). Saiu algumas matérias falando que eu desobedeci, mas pelo contrário, ele incentiva isso. Quis dizer que ano passado eu fazia e tomava uma dura por isso, mas Jesualdo induz a gente a fazer isso. Hoje Jesualdo me passa total confiança, o gol também me deu total confiança. Quero me firmar - disse.

- Quando ele chegou, reuniu, conversou e foi bem impressionante, ele sabia praticamente de todos os jogadores. Sabia que o Luan fazia lateral esquerda, sabia que eu fazia primeiro e segundo volante, e ele chegou e falou: "sei que seu ano passado foi muito difícil. Você sofreu, mas você tem potencial, não está aqui por acaso. Basta confiar em você. Se você mostrar para mim dentro de campo, você vai jogar como os outros". Aí ele me chamou, me falou que eu tinha qualidade, que iria me testar nas minhas funções e foi isso. Tem sido muito bom - acrescentou.

O torcedor ainda vê com desconfiança o comando de Jesualdo, seja por ele escalar Soteldo pela direita ou deslocar Pituca de sua posição de origem. Porém, Jobson explicou que existe uma troca entre elenco e comissão sobre se sentir à vontade nas funções e ressaltou que o convívio é muito bom.

- Ele é um cara muito experiente e o que ele tem que fazer nos treinos ele testa em duas três funções e vê onde o jogador sai melhor. Ele pergunta pra gente, ele dá esse tipo de liberdade... "Olha, você tem vontade de jogar onde?" e a gente fala, mas ele também diz, de acordo com a visão técnica dele, que é muito boa, onde ele crê que temos que jogar. Ele abre o olho de pessoas que nem sabem que podem render em outra posição. É um convívio muito bom onde a gente recebe muito bem o que ele fala e ele também. É muito bom pra gente - explicou.

Santista desde pequeno, Jobson se vê realizando um sonho. O volante recordou a época que treinava no gramado ao lado e ficava observando o time profissional, por exemplo, e hoje se vê firmado no time do coração. E ele fez questão de avisar:

- Com certeza todo mundo vai ver mais um torcedor em campo. Sempre parei na frente da televisão para ver o Santos jogar. O que eu fiz valeu a pena, nada é por acaso. Abrir mão de tudo que eu abri, propostas, que às vezes eram melhores do que eu recebia aqui... esse escudo representa muito na minha vida. É um clube que sempre me imaginei. Ficava ali no campo de grama sintética olhando pra cá, vendo os caras treinarem. É um sonho. Meu olho brilha de estar vivendo isso - concluiu.

Já dizia uma estrofe do hino do Santos... "nascer, viver e no Santos morrer é um orgulho que nem todos podem ter". E Jobson leva essa parte muito a sério.