Futebol Com apoio do elenco, Fluminense se mantém firme por cautela em retorno

Com apoio do elenco, Fluminense se mantém firme por cautela em retorno

Clube é um dos grandes críticos à postura dos rivais pela volta dos treinos a partir desta terça e dos jogos no mês que vem; jogadores respaldam Mário Bittencourt

Lance
Lance

Lance

Lance

O Fluminense vem sendo uma das vozes mais ativas com relação à cautela pela retomada das atividades do futebol. Na segunda-feira, o clube teve mais um capítulo da discussão já existente após o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, dar o aval para o início dos treinamentos e projetar a volta dos jogos. No entanto, o Tricolor mantém o mesmo discurso desde o início da pandemia: não retornará enquanto as autoridades de saúde não emitirem um parecer respaldado pela comunidade científica dando um aval para tal.

Em pelo menos oito notas oficiais neste período, o Fluminense reafirmou a postura de aguardar pela autorização de especialistas. Mais do que apenas o posicionamento institucional do presidente Mário Bittencourt, o mandatário é apoiado também pelos jogadores. Com boa relação entre elenco e diretoria, os discursos estão alinhados neste momento, quando o Rio de Janeiro registra cada vez mais casos do novo coronavírus.

- O Fluminense vem se orientando com grandes profissionais. Ninguém está discutindo a letalidade ou possibilidade de contágio. A discussão é que quanto mais pessoas se infectarem neste momento, menos leitos vamos ter. Todos os lugares que flexibilizaram antes do tempo, a curva voltou a subir. A preocupação é com a saúde. Não é cabível voltar aos treinos ou jogos - disse Mário em entrevista ao "Troca de Passes", do SporTV.

Grande parte dos jogadores vinha evitando falar sobre qualquer decisão para o retorno ou não das atividades. No entanto, com a elaboração dos treinamentos à distância e a posição cada vez mais firme do clube, os atletas começaram a se manifestar publicamente sobre a discussão. Os treinos por videoconferência, inclusive, foram elogiados pelo grupo, que aprovou os métodos adotados e a forma de realização das atividades.

- O Mário é um presidente que sempre está conversando com a gente, sempre busca o melhor. Está pensando em todos. Acho que ele está fazendo o certo em voltar só quando liberar totalmente. Estamos vendo muitas notícias ruins, pessoas morrendo. Isso é chato. Pessoas que não vem respeitando. Se não tiver respeito, não vamos sair dessa. Todos estão de acordo com o Mário, é uma postura totalmente certa. Estamos treinando firme em casa. Todos fechados com ele nessa postura - disse Marcos Paulo em entrevista ao "Canal André Marques", no Youtube.

- Tem coisas mais importantes, que é o caso no momento. Nossa saúde e nossa vida. Estando saudáveis para jogar, mesmo sem a torcida, temos que ter consciência. Infelizmente é o momento que estamos passando, mas espero que a gente possa voltar logo a jogar com os torcedores, que dão a beleza aos jogos - afirmou o meia Nenê, em live na "FluTV".

Além do Fluminense, o Botafogo foi outro que se mostrou contra o retorno imediato. Em contato com a Prefeitura, o Alvinegro, porém, sugeriu que a retomada seja a partir de 1º de junho, na próxima semana, com a volta dos jogos entre 28 de junho e 4 de julho. O clube garante que, mesmo com a ideia, não vai reiniciar os treinos. No entanto, o Flu é o único que se mostrou completamente contrário à discussão.

Últimas