Futebol Com 11 jogadores da base em campo, São Paulo quebra seu recorde na Libertadores contra o Rentistas

Com 11 jogadores da base em campo, São Paulo quebra seu recorde na Libertadores contra o Rentistas

O Tricolor nunca havia jogado uma partida de Libertadores com tantos atletas da base em campo quanto no empate em 1 a 1 contra os uruguaios, na última quarta-feira

Lance
Lance

Lance

Lance

O São Paulo bateu o recorde de participações de atletas da base em uma partida de Libertadores no última quarta-feira (12), no empate em 1 a 1 contra o Rentistas, do Uruguai. No total, onze atletas formados pelo Tricolor entraram em campos, sendo sete como titulares e quatro saindo do banco.


SÃO PAULO LÍDER DO GRUPO E! VEJA A TABELA ATUALIZADA DA LIBERTADORES!

O recorde anterior era de nove atletas formados pela base em campo, na partida diante do Criciúma no dia 6 de março de 1992, há 29 anos. A partida em questão terminou com a vitória da equipe catarinense por 3 a 0.]

Na ocasião, Antônio Carlos, Ronaldão, Ivan, Pintado, Mona, Eraldo, Catê e Cláudio Moura foram os jogadores de base titulares, e Cafu entrou durante a partida.

No jogo da última quarta-feira, Lucas Perri, Diego Costa, Rodrigo Freitas, Welington, Rodrigo Nestor, Talles Costa e Igor Gomes começaram a partida como titulares. Juntos, os atletas representam cinco gerações formadas em Cotia, da geração de 1997 até a de 2002.

Esses sete jogadores quebraram, também, o recorde de jogadores titulares formados em Cotia em uma partida de Libertadores. O Centro de Formação de Atletas Laudo Natel foi inaugurado em 2005, logo, na partida contra de 1992 contra o Criciúma, mesmo sendo da base, os atletas não eram formados em Cotia.

Além dos sete titulares, outros quatro jogadores formados no CFA atuaram contra o Rentistas. São eles: Shaylon, Paulinho Boia, Galeano e Hernanes. O mais experiente dos quatro, Hernanes, esteve em Cotia, mas estreou profissionalmente antes do CFA ser inaugurado.

Dentre os 23 atletas relacionados para a partida no Uruguai, 17 foram revelados na base do clube, o que representa quase três quartos dos relacionados. Além dos 11 que entraram em campo, Thiago Couto, Patryck, Beraldo, Nathan e Anilson ficaram entre os suplentes, mas não jogaram.

O São Paulo não jogava com sete titulares formados nas categorias de base desde a final da Libertadores de 1992, contra o Newell’s Old Boys, da Argentina.

Na conquista do primeiro título continental do clube, Cafu, Antônio Carlos, Ronaldão, Ivan, Pintado, Müller e Elivélton foram os sete representantes da base são-paulina.

Últimas