Futebol Cirurgia feita e cerca de três meses fora: médico explica lesão de Philippe Coutinho no Barcelona

Cirurgia feita e cerca de três meses fora: médico explica lesão de Philippe Coutinho no Barcelona

Dr. Pedro Baches Jorge, ortopedista da Clínica SOU e cirurgião de joelho do Hospital Sírio Libanês, acredita que o brasileiro não terá problemas de recuperação

Lance
Lance

Lance

Lance

A passagem de Philippe Coutinho no Barcelona parece não conseguir decolar. Quando o brasileiro vivia um de seus melhores momentos no clube catalão, uma péssima notícia: sofrera uma lesão no menisco externo do joelho esquerdo na partida contra o Eibar. Em conversa com o LANCE!, o Dr. Pedro Baches Jorge, ortopedista da Clínica SOU e cirurgião de joelho do Hospital Sírio Libanês, explicou um pouco mais sobre a lesão sofrida pelo brasileiro.

VEJA A TABELA DE LA LIGA

- Existem diversos tipos de lesão de menisco, tanto de gravidade quanto de localização. Quando acometem o jogador profissional, normalmente, são lesões cirúrgicas, pois a dor incapacita para a prática do esporte. Acredito que ele consiga retornar aos gramados em um espaço de tempo curto, sem prejuízos à carreira - disse.

- Sempre por via artroscópica, basicamente, existem dois tipos de intervenção no menisco. Uma delas é a retirada da parte lesionada, chamada meniscectomia parcial. Essa é de rápida recuperação e o retorno pode dar-se em até 45 dias. O outro procedimento é a sutura do menisco, que tira o atleta por mais tempo dos gramados (3 a 4 meses), mas evita a perda de parte dessa estrutura tão importante. O que faz optar por uma ou outra cirurgia é o tipo de lesão - completou o médico. No caso de Coutinho, o procedimento utilizado foi o segundo.

Para o Dr. Pedro Baches Jorge, Coutinho não terá riscos para a carreira, mas pode ser prejudicial no futuro.

- Existem os riscos inerentes a todos os procedimentos, que variam desde a anestesia à internação hospitalar. Porém, na hora de optarmos pela cirurgia, colocamos os riscos e benefícios na balança, tanto para a saúde quanto para a carreira do paciente. Quando o benefício é maior que potenciais riscos, a cirurgia está indicada. No caso de procedimentos artroscópicos, feitos por vídeo, os riscos são baixos e os benefícios imensos - começou dizendo.

- Na minha opinião, para o Coutinho, o maior risco será a falta de parte do menisco no futuro, não para a sua carreira, mas sim quando em idade mais avançada, pois isso pode favorecer o surgimento de desgaste precoce da articulação. Portanto, acredito que em um breve espaço de tempo, o jogador do Barcelona retorne aos gramados, com total capacidade de jogo - adicionou.

Alguns exemplos de lesões também foram dadas pelo Doutor. Reinaldo, ex-jogador do Atlético Mineiro, foi um dos prejudicados pelo mesmo problema. Já Luis Suárez, atualmente no Atlético de Madrid, teve uma boa recuperação.

- Um exemplo de atleta que teve sua carreira prejudicada por lesão do menisco é o Reinaldo, quando jogava pelo Atlético Mineiro, na década de 70. Nessa época, retirava-se todo o menisco, pois não se entendia a real função deste. Isso fazia com que as articulações do joelho sofressem desgaste precoce e, com isso, as carreiras eram abreviadas. Hoje em dia, a cirurgia é menos agressiva e muitas vezes até reparadora na tentativa de preservar o maior volume de menisco possível. Um atleta que foi submetido ao procedimento artroscópico para tratar lesão de menisco e retornou rapidamente e em grande forma, é o uruguaio Suárez.

Philippe Coutinho já foi operado por médicos do Barcelona. Em nota oficial, o clube catalão estipulou cerca de três meses para o retorno do brasileiro aos gramados e informou que a operação não teve maiores problemas.

Últimas