Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Ceni admite erro no planejamento do São Paulo: 'ter os jogadores e não poder utilizar'

Durante a coletiva, treinador comentou situação dos estrangeiros do elenco 

Futebol|

Lance
Lance Lance

Após a derrota do São Paulo por 2 a 1 diante do Corinthians no Morumbi, o técnico Rogério Ceni concedeu entrevista coletiva e analisou a partida. Entre os vários assuntos abordados, o treinador comentou a ausência de Giuliano Galoppo, autor de dois gols na partida contra a Portuguesa, até mesmo da lista de relacionados. Na visão de Ceni, é uma questão de gestão de elenco.

- Temos o Méndez, que é volante; Calleri é '9'; dos três zagueiros do elenco, dois são estrangeiros. Como o Galoppo não é lateral direito, prefiro colocar um lateral de origem (Orejuela) e o Galoppo fica de fora. Não só ele, como o (Gabriel) Neves também ficou de fora. É a realidade.

+ ATUAÇÕES: Jhegson Méndez é destaque na derrota do São Paulo; veja as notas

+ MERCADO DA BOLA: veja as últimas contratações do seu time

Publicidade

O comandante tricolor ainda assumiu a possiblidade de ter ocorrido um erro de planejamento do São Paulo na montagem do elenco, que atualmente tem oito estrangeiros no plantel - o limite imposto pela CBF é que apenas cinco podem ser registrados em súmula.

- Claro que é triste deixar os dois de fora se, em uma totalidade de 23 atletas, eles poderiam estra dentro. Agora, não tem como. Talvez tenha sido um erro nosso de planejamento ter esses jogadores e não poder utiliza-los. Eu sei que as pessoas as vezes não tem o conhecimento, não sabem, mas essa é a realidade do momento. Nem se eu quisesse deixar um zagueiro estrangeiro de fora eu poderia. É pela necessidade da posição.

Publicidade

O São Paulo volta a campo pelo Paulistão no próximo domingo (05), às 16 horas (hora de Brasília), para enfrentar o Santo André fora de casa.

Confira a seguir outros trechos da coletiva de Rogério Ceni.

Publicidade

VAIAS A OREJUELA

- Isso é uma coisa que a gente não controla. A substituição foi um pouco pelo lado psicológico do jogador, depois de ser vaiado durante o final do primeiro tempo. Eu entendo o torcedor tomar a decisão de vaiar durante o jogo. É sempre mais difícil para um atleta jogar com vaias, mas aí vai da parte mental dele, de se concentrar porque ele tem que jogar. Nós jogamos jogos seguidos, agora nós temos uma semana (sem jogos) e não volta nenhum dos laterais. Nem o Moreira, nem o Igor e nem o Rafinha. Então ele vai ter sequência de jogos. ele tem que ajudar, é atleta do clube. Ele precisa ter força mental e nós temos que ajuda-lo a completar os jogos.

Publicidade

ANÁLISE DA PARTIDA

- ​Acho que nós fizemos um bom jogo, especialmente no segundo tempo. Nós controlamos o jogo e tivemos boas oportunidades de gol. O adversário foi mais assertivo e teve seus méritos nas duas jogadas. Nós tivemos uma leitura errada nas jogadas. mas serve de aprendizado. Acho que temos chance de encontrar o Corinthians à frente. Muito ruim o resultado, claro. Perder um clássico é sempre ruim. Mas dá para tirar coisas boas.

UTILIZAÇÃO DE LUAN

​- Todos tem condições de ser titular. Tem que ver se o atleta consegue girar no ritmo que o time joga durante 90 minutos, marcando pressão, e principalmente contra um time como o Corinthians, que jogava com três jogadores de muita velocidade. Isso ele sofre um pouco e você vê pelas maneira como ele faz as coberturas. Tem horas que o Alan franco faz a saída e ele (Luan) vem se recuperando. Então é normal que ele jogue alguns minutos até se condicionar bem e entrar em ritmo de jogo. Aí pode ser usado, como o Neves pode ser usado, como o Pablo... todos eles podem ser usados.

Em atualização

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.