Futebol Carlos Eduardo x Felipe Pires: dados dos reforços mais usados no Verdão

Carlos Eduardo x Felipe Pires: dados dos reforços mais usados no Verdão

Veja os números dos dois atacantes que chegaram como alternativas para substituir Willian, desfalque no primeiro semestre após operar joelho direito

Confira os números até agora dos dois atacantes que chegaram como alternativas para substituir Willian, desfalque no primeiro semestre depois de operar o joelho direito

Felipe Pires e Carlos Eduardo foram contratados como opção de velocidade pelo lado

Felipe Pires e Carlos Eduardo foram contratados como opção de velocidade pelo lado

Agência Palmeiras/Divulgação

Assim que foi confirmada a lesão no joelho direito de Willian, que o tornará desfalque por todo este semestre, o técnico Luiz Felipe Scolari solicitou à diretoria a chegada de opções de velocidade pelos lados. O Palmeiras, então, pagou mais de R$ 23 milhões ao Pyramids, do Egito, para contratar Carlos Eduardo e trouxe Felipe Pires por empréstimo, do Hoffenheim, da Alemanha. Os números mostram que o segundo está melhor.

Na análise dos dados do Footstats em relação ao que ambos já fizeram neste começo de Campeonato Paulista, Felipe Pires, que tem 23 anos e nunca tinha atuado profissionalmente no Brasil, é superior em quase todos os quesitos. E Carlos Eduardo, de 22 anos e formado no Goiás, já teve duas chances como titular, uma a mais em relação ao seu concorrente.

Na comparação, ambos empatam somente em número de rebatidas, nome dado à bola afastada da defesa - obviamente, longe de ser uma função primordial para um atacante, ainda mais da característica deles. Cada um deu uma. De resto, Felipe Pires é melhor em praticamente tudo.

A busca para que um deles agarre logo a posição é tão grande que ambos são os reforços mais utilizados até agora. O meia Zé Rafael, único dos recém-contratados também já inscrito no Paulista, atuou somente uma vez. O volante Matheus Fernandes, o meia-atacante Ricardo Goulart e o atacante Arthur Cabral ainda estão fora da lista para o Estadual.

Confira a comparação entre Felipe Pires e Carlos Eduardo:

Felipe Pires é melhor em... 

Felipe Pires já fez gol em 2019

Felipe Pires já fez gol em 2019

Richard Callis/Fotoarena/Lancepress!

O camisa 27 atuou uma partida a mais do que seu concorrente (quatro contra três), mas somente uma como titular, enquanto Carlos Eduardo atuou em duas (incluindo o Dérbi de sábado, no qual Felipe Pires entrou no seu lugar, no intervalo, quando o Corinthians já vencia por 1 a 0). E Felipe Pires fez seu gol no único jogo em que começou, garantindo o 1 a 0 sobre o Oeste, pela quarta rodada do Paulista, na Arena Barueri.

O jogador que pertence ao Hoffenheim é melhor em quase tudo. Deu mais assistências para finalização (três contra um), teve mais acertos em finalizações (duas contra zero, com 100% de aproveitamento), passes (83 contra 26, com 89,25% de aproveitamento) e desarmes (seis contra três, com 100% de aproveitamento tanto de Felipe Pires quanto de Carlos Eduardo) e recebeu mais faltas (sete contra seis).

Felipe Pires ainda ficou menos vezes impedido (uma contra duas) e mostra um melhor aproveitamento em lançamentos (acertou o único que tentou, enquanto Carlos Eduardo tem um correto e outro errado no quesito).

Carlos Eduardo é melhor em... 

Carlos Eduardo jogou muito mal no Dérbi

Carlos Eduardo jogou muito mal no Dérbi

Cesar Greco/Ag Palmeiras

Carlos Eduardo teve uma péssima atuação no sábado, em sua segunda chance como titular - já tinha começado a vitória por 2 a 0 sobre o São Caetano, na terceira rodada. E seu desempenho até agora, em três partidas pelo clube, tem sido bem pior do que o concorrente. O camisa 37 só supera Felipe Pires em pontos positivos por cometer menos faltas (três contra quatro), já ter sofrido um pênalti (contra o Botafogo-SP, desperdiçado por Bruno Henrique) e perder menos a posse de bola (11 contra 19).

Nos outros quesitos, o ex-jogador de Goiás e Pyramids tem números maiores somente em critérios negativos. Possui mais erros em finalizações (sete contra zero, tendo 0% de aproveitamento), passes (11 contra dez, acertando apenas 70,27% de suas tentativas) e cruzamentos (sete contra três, ponderando que tanto ele quanto Felipe Pires ainda não acertaram nenhum cruzamento).

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Ricardo Goulart: apaixonado pela mulher e por viajar o mundo