Futebol Campeão pelo Bayern de Munique, Lúcio revela torcida antes de clássico: ‘Espero que o Leverkusen termine na frente’

Campeão pelo Bayern de Munique, Lúcio revela torcida antes de clássico: ‘Espero que o Leverkusen termine na frente’

Ex-jogador atuou por quatro anos no Bayer e outros cinco pelo gigante da Baviera

Lance
Lance

Lance

Lance

O ex-zagueiro Lúcio, pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira em 2002, e que atuou por nove anos no futebol alemão, falou, em entrevista ao site ‘Torcedores’, sobre o período em que atuou na Bundesliga e a respeito da atual edição do campeonato, que terá confronto direto pela liderança, neste sábado (10), entre Bayer Leverkusen e Bayern de Munique, justamente as duas equipes em que ele jogou.

- É um momento único que o Leverkusen está vivendo, tem conseguido manter a regularidade e ficar em primeiro. Sabemos que o Bayern de Munique é o grande bicho papão da Alemanha, mas espero que o Leverkusen consiga ficar na frente nessa temporada. Se eles conseguirem manter essa constância, possuem grandes chances de vencer nesta temporada. Com o trabalho que tem sido feito pelo Xabi Alonso, as chances são grandes de conquista - aponta.

+ ‘Hong Kong odeia Messi e o Inter Miami’: Ausência do craque em amistoso causa revolta na China

Lúcio jogou por quatro temporadas na equipe e marcou um gol na final da Liga dos Campeões 2001/02 contra o Real Madrid. O time espanhol saiu vencedor da disputa com um gol icônico do francês Zinedine Zidane na prorrogação. Mesmo com a inclinação na torcida para o seu primeiro clube na Europa, o ex-jogador não descarta a conquista do Campeonato Alemão por parte do Bayern de Munique, até por conhecer bem a filosofia do clube.

- Como joguei nos dois, sei como são os ambientes. No Bayern de Munique a mentalidade é para vencer sempre, e também o nível de investimento é muito alto. Se sobressai em relação aos outros na Alemanha. Eles têm essa visão de ter uma equipe o máximo competitiva possível em todas as temporadas. Eles sempre são os grandes favoritos antes do campeonato começar. O grande mérito ao meu ver é conseguir manter os principais jogadores e sempre observar o mercado para se reforçarem ainda mais com novos atletas. O grupo de jogadores tem a orientação de ficar unido em prol dos objetivos e todo jogador que chega entende que essa mentalidade vencedora prevalece. Então, a chance de vencer tem sempre - afirma.

+ Com defesas importantes, Lucas Perri estreia pelo Lyon e é elogiado: ‘Foi um desafio, ele aceitou’

Sobre a mentalidade do clube da Baviera em que comenta, Lúcio explica que a cobrança por êxito parte da alta cúpula do clube até o departamento de futebol.

- Tem muita cobrança por parte da diretoria e do departamento de futebol. Isso faz com que o grupo fique sempre atento em relação ao objetivo. Quando o time dá uma caída por algum motivo, os diretores se reúnem com o elenco para entender o que está acontecendo e o que pode melhorar. O acompanhamento é feito de perto e a cobrança é constante. Já tiveram situações em que ganhamos por 3 a 1 ou 4 a 2 e houveram reclamações por falhas defensivas. Essa filosofia acaba por proporcionar que o atleta busque dar 100% em todas as partidas - conta.

A estrutura é colocada como um dos pilares do sucesso do Bayern de Munique pelo ex-jogador da Seleção Brasileira.


- Em termos de estrutura eles proporcionaram várias facilidades, como casa e carro. Para o estrangeiro, buscavam dar suporte também para a família, pela cultura ser diferente e pelo frio também. Sempre era perguntado sobre a família, se estavam bem e à vontade no país, pois isso faz parte do rendimento do atleta dentro de campo. O todo tem que estar bom para que o jogador desempenhe.

Lúcio teve inúmeros parceiros de zaga na Alemanha, que se revezaram enquanto o brasileiro esteve por lá. O único que não saia do time era ele.

- Só tive jogadores de qualidade ao meu lado. Joguei no Munique com o Demichelis, Van Buyten, Kuffour e o Breno, também, logo que ele chegou. Foi no último ano que eu fiquei. No Leverkusen atuei bastante com o Zivkovic, croata - relembra.

Pelo Bayer Leverkusen, Lúcio jogou 123 jogos, marcou 21 gols e foi vice-campeão da Liga dos Campeões. Com a camisa do Bayern de Munique foram 218 partidas, com 12 bolas nas redes e conquista de três Campeonatos Alemães, três Copas da Alemanha e duas Copas da Liga Alemã. As duas equipes que o ex-defensor atuou jogam às 14h30 (de Brasília), deste sábado (10), e estão separadas por apenas dois pontos na classificação, com o Leverkusen à frente, após 20 rodadas disputadas.

Últimas