Futebol Barcelona tem nova tática para tentar contratar Neymar

Barcelona tem nova tática para tentar contratar Neymar

Equipe catalã enxerga brasileiro como um jogador que pode desequilibrar na reta final do campo e uma jogada de marketing com  declínio de Messi

Lance
Neymar pode estar retornando ao Barcelona

Neymar pode estar retornando ao Barcelona

Franck Fife/AFP

Uma das novelas que mais agitou o último mercado de transferências, Neymar e Barcelona podem estar tendo um novo caso. Segundo o 'Mundo Deportivo', o clube catalão quer revitalizar seu elenco na próxima temporada. Por esse motivo, o brasileiro é visto como um dos alvos principais, já que é um jogador que desequilibra e faz falta na equipe.

Além disso, o Barça enxerga ele como um jogador corajoso, o que aliviaria a pressão na reta final do campo sobre Lionel Messi. Outro fator importante é que o camisa 10 do Paris Saint-Germain é um ícone do esporte e sua imagem e marketing poderiam assumir um nível elevado na Espanha, com a idade do argentino aumentando.

O jogador continua dando sinais que deseja retornar ao Camp Nou. Muitos de seus ex-companheiros de equipe, como Messi, desejam a volta do craque. Paralelamente a isso, o PSG tenta renovar com Mbappé, já que na França foi noticiado que o brasileiro ainda deseja ouvir o Barça.

Após a recusa do clube francês na última janela de transferências, o Barcelona elaborou um roteiro que tirou proveito de um artigo dos regulamentos da Fifa para poder contratá-lo em 2020. Apesar disso, os catalães preferem negociar com o PSG no estilo "tradicional".

Este artigo da Fifa número 17 do Regulamento de Estatuto e Transferência de Jogadores, permite ao jogador rescindir seu contrato com o clube sem justa causa, uma vez que não tenha uma cláusula de rescisão, como é o caso do brasileiro, desde que ele tenha mais de 28 anos e já tenha atuado três temporadas em seu clube. Neymar já cumpriu com todas essas condições.

Se o brasileiro recorrer à Fifa, o PSG deve decidir se também quer recorrer ao órgão e ao TAS para pedir sua indenização ou à justiça comum. Em ambos os casos, a resolução levaria meses ou até anos para chegar. Levando em conta os antigos precedentes, levaria cerca de dez meses para determinar a compensação que o clube francês deveria receber. E esse número deve ser ratificado ou revisado posteriormente pelo TAS, o que atrasaria ainda mais o processo. Caso decidisse recorrer aos tribunais comuns, os advogados especializados no assunto consideram que a compensação que deveriam receber poderia ser ainda maior, uma vez que os danos também teriam que ser pagos.

Caso use o artigo da Fifa, não ficaria claro quanto o PSG deveria receber

No caso de recorrer a este artigo da FIFA , não há critérios claros estabelecidos para calcular a compensação. No Barça, eles gerenciam que seria baseado nos anos que o jogador teria deixado de cumprir contrato no PSG (dois). A previsão dos advogados do clube catalão é que ele possa sair por menos de 180 milhões de euros (aproximadamente R$ 997 milhões).

Do ponto de vista espanhol, a operação seria arriscada, pois se Neymar deixar o PSG dessa maneira, o Barça poderá registrá-lo e escalá-lo para as partidas, mas sem saber quando ou quanto ele deve pagar por isso. Além disso, recorrer ao artigo da Fifa seria um precedente entre os grandes clubes que deixariam o Barça em uma posição difícil, pois, se o fizer, abriria a porta para que outros o fizessem no futuro. Portanto, agora prioriza a rota tradicional: insistem para que os franceses vendam com a cumplicidade do jogador em desgastar a paciência dos dirigentes parisienses.

Como na última vez, o Barça tentará envolver jogadores na negociação

Como os franceses pediram muito dinheiro pelo brasileiro, o Barcelona quis colocar nomes para diminuir o custo. Semedo foi um nome que agradou bastante, mas o clube catalão não queria negociá-lo. Coutinho, Rakitic e Todibo também alegraram os dirigentes em Paris. Na próxima janela, o clube de Camp Nou tentará a mesma medida e espera ter o seu craque de volta.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Nada de folga! Coronavírus obriga jogadores treinar em casa

Últimas