Atuação apagada e vaias da torcida: o reencontro de Camilo com o Botafogo

Meio-campista, importante na campanha do Campeonato Brasileiro de 2016, retornou ao Estádio Nilton Santos pela primeira vez desde que saiu do Alvinegro e pouco produziu

Lance

Lance

Lance

Camilo foi um dos principais responsáveis pela campanha de recuperação do Botafogo no Campeonato Brasileiro de 2016. Contratado na metade da temporada, vindo do futebol asiático, o meio-campista se adaptou com rapidez e se tornou uma das referências da equipe comandada por Jair Ventura, que saiu da disputa para fugir da zona de rebaixamento a vaga na Libertadores. Na última segunda-feira, o atleta reencontrou o clube da Estrela Solitária.

A recepção não foi das melhores. Camilo foi vaiado em todas as vezes que tocou na bola. Quando foi substituído, já no segundo tempo, parte da torcida comemorou a saída do jogador do gramado. O desempenho do meia no 0 a 0 entre Botafogo e Chapecoense, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, inclusive, não foi marcante.

> CONFIRA A TABELA DO BRASILEIRÃO

Foi a primeira vez que Camilo retornou ao Estádio Nilton Santos desde que deixou o Botafogo. No ano passado, quando atuava pelo Internacional, o meia não jogou o duelo entre as equipes realizado no Rio de Janeiro, mas ficou dez minutos em campo na partida disputada no Beira-Rio, que terminou em triunfo colorado por 1 a 0.

Camilo - Botafogo

Camilo - Botafogo

Lance

Camilo teve boa passagem pelo Botafogo (Foto: Vitor Silva)

Contra o Botafogo, a participação de Camilo foi apagada. O meio-campista deu apenas 45 toques na bola, acertando 25 passes, dando duas finalizações e sem criar nenhuma chance real de gol. Responsável pela organização da equipe catarinense, o atleta perdeu a bola em onze oportunidades. Os números são do site "Sofascore".

O Estádio Nilton Santos, inclusive, foi o local do auge da carreira de Camilo. Com o destaque de três anos atrás, o atleta foi convocado para participar de um amistoso contra a Colômbia, na partida que serviu para arrecadar fundos para a Chapecoense após a tragédia antes da final da Copa Sul-Americana. Na ocasião, que reuniu apenas jogadores que atuavam em solos tupiniquins, o meia entrou aos 35 minutos do segundo tempo.

Apesar da boa participação em 2016, Camilo não repetiu a dose na temporada seguinte. Mesmo com a participação na Libertadores e a chegada de reforços, o meio-campista acumulou atuações ruins, se mostrou chateado quando foi sacado do time titular e foi negociado ainda no decorrer da temporada. Pelo Botafogo, foram 57 jogos e sete gols marcados.

O desempenho de Camilo contra o ex-clube, inclusive, passa longe de ser positivo. Até aqui - contando também os duelos que realizou antes de sua passagem pelo Alvinegro - foram seis partidas, com uma vitória, um empate e quatro derrotas. O meio-campista não fez gols no Glorioso e terá que esperar, pelo menos, até a partida do segundo turno do Brasileirão para tentar balançar as redes contra o Alvinegro e fazer valer a 'Lei do ex'.