Futebol Atas do CG revelam que Soteldo abriu mão de R$ 2 mi para deixar o Santos

Atas do CG revelam que Soteldo abriu mão de R$ 2 mi para deixar o Santos

Santos divulgou as atas de reuniões do Comitê de Gestão em abril e elas detalharam a transferência de Soteldo ao Toronto. Clube devia salários e premiações ao jogador

Lance
Lance

Lance

Lance

O Santos divulgou aos associados e torcedores as atas das reuniões realizadas pelo Comitê de Gestão do clube no mês de abril. Dente as decisões deste mês, estiveram a renovação com Meninos da Vila, a venda de Soteldo, uniforme número 3 do Peixe e demissões em certos departamentos.

O presidente abriu a reunião no dia 23 de abril, detalhando a proposta recebida pelo Santos para a venda do atleta Soteldo: o Toronto, do Canadá, oferece US$ 6 milhões por 100% dos direitos, o que representaria US$ 3 milhões para o Santos e US$ 3 milhões para o Huachipato. Andres Rueda explicou que a dívida com o time chileno na FIFA, que gerava o TransferBan, era de US$ 3,8 milhões, incluindo multa e juros. ]

A proposta colocada em votação pelo presidente, que colocaria fim ao Transfer Ban, seria de pagar US$ 3,5 milhões ao Huachipato: os US$ 3 milhões do Toronto e mais US$ 500 mil, pagos em cinco parcelas a partir de julho. O Santos ainda teria direito a 12,5% de uma venda futura do jogador do valor que superar os US$ 6 milhões.

As atas também revelaram que Soteldo renunciou a cerca de R$ 2 milhões que teria a receber do Santos entre salários e premiações atrasadas.

Outra importante pauta sobre o venezuelano foi rem relação ao atraso na reapresentação. Soteldo foi autorizado a permanecer na Venezuela por três dias após o confronto com o Deportivo Lara, pela Copa Libertadores da América, mas não retornou ao Brasil na data combinada. O Departamento de Futebol recomendou a aplicação de uma multa, além do não pagamento dos dias não trabalhados. O comitê aprovou a decisão.

Demissões

Foi aprovado pelo Comitê de Gestão do clube as demissões de Emilly da Silva Rufo, do Departamento Pessoal, e de Felipe Freitas e Fernando Dragone, no futebol feminino, todos eles em alinhamento com as chefias de cada setor.

Renovações de contrato

Após uma série de reuniões entre os profissionais do Departamento de Futebol e os membros do Comitê de Gestão, o presidente colocou em votação um novo modelo de remuneração para os futuros contratos no clube. Além do salário base de cada atleta, o clube concederia um prêmio anual por número de jogos. Ou seja, os jogadores que entrarem mais em campo ganhariam um bônus maior no ano seguinte, sendo que essa contagem aconteceria por temporada. Em relação aos mais jovens, Walter Schalka pontuou a obrigação de o clube estabelecer um processo e fazer contratos aos 16, 17 e 18 anos de cada atleta, com promoções a cada aniversário. Eventuais exceções deveriam ser justificadas pelo Departamento de Futebol ao Comitê de Gestão. O novo critério foi, então, aprovado por unanimidade em votação.

Redes sociais

O conselheiro Vitor Sion colocou em votação um código de conduta para os funcionários do clube nas redes sociais, desenvolvido pelos departamentos de comunicação e marketing. O objetivo é conscientizar a todos sobre a importância de preservar informações internas do clube. A decisão foi aprovada.

Últimas