Futebol Arsène Wenger se arrepende por não ter deixado Arsenal mais cedo

Arsène Wenger se arrepende por não ter deixado Arsenal mais cedo

Comandante trabalhou nos Gunners por 22 anos, mas relação nas últimas temporadas era conturbada e com muitos torcedores contestando o trabalho do francês

Lance
Lance

Lance

Lance

Arsène Wenger, ex-técnico histórico do Arsenal e que trabalhou no clube inglês por 22 anos, se mostrou arrependido por não ter deixado os Gunners mais cedo. Em entrevista ao "Telegraph", o francês afirmou que poderia ter evitado o desgaste com a torcida nas últimas temporadas.

- Eu me identifiquei completamente com o clube. Esse foi o erro que cometi. Eu me arrependo, pois deveria ir para outro lugar. 2007 foi decisivo. Foi a primeira vez que senti que havia tensão no quadro do clube, mas eu me mantive leal. Até hoje me pergunto se fiz a coisa certa.

> Veja a tabela da Premier League

O veterano revelou diversas propostas que recebeu ao longo de sua trajetória nos Gunners e afirmou que nunca mais retornou ao Emirates Stadium desde que deixou o Arsenal.

- Eu poderia ter assumido a França. A Inglaterra me chamou duas ou três vezes. O Real Madrid me chamou duas vezes. Eu poderia ter ido para a Juventus, PSG e até o Manchester United.

Atualmente, Wenger trabalha para a Fifa e é um dos idealizadores do projeto da Copa do Mundo bienal. Apesar do apoio interno, o trabalho do francês enfrenta alguma resistência do lado de fora da entidade máxima do futebol apesar de ter sido um revolucionário enquanto treinador.

Últimas