Após ser alvo de racismo, Marinho chora e desabafa nas redes sociais

Atacante foi o autor do gol di Santos na partida, mas acabou sendo expulso e alvo de racismo durante transmissão de emissora de rádio paulista

Marinho foi ofendido após ser expulso na eliminação do Santos

Marinho foi ofendido após ser expulso na eliminação do Santos

Lance

O atacante Marinho desabafou nas redes sociais nesta sexta-feira, após ser alvo de racismo durante a transmissão de Santos e Ponte Preta, na rádio "Energia 97", nesta quinta (30) pelas quartas de final do Campeonato Paulista. Depois da expulsão do jogador, o comentarista Fabio Benedetti, conhecido como Chef Benedetti, fez um comentário racista.

Durante o intervalo, ele foi questionado sobre o que diria ao santista em um suposto grupo de Whatsapp do qual os dois fariam parte. O comentarista então disse: "Eu vou falar assim: 'Você é burro, você está na senzala, você vai sair do grupo uma semana para pensar sobre o que você fez.'"

O jogador usou o seu Instagram para desabafar sobre a situação. Chorando, o atacante do Peixe comentou sobre o infeliz comentário e deu sua opinião sobre o ocorrido.

"É de sentir na pele. Toda vez eu defendo a bandeira. Quando se passa na pele, se sofre. Agora vim falar sobre o que aconteceu. Por isso brigo pela causa. É horrível passar na pele. Não podemos deixar passar, sei o valor que eu tenho. Fico pensando, tá ligado? Antigamente não tinha voz ativa, passava desapercebido. Muita gente que não tem voz ativa baixa a cabeça a anda. Eu brigo pela causa porque tenho voz. E isso só mostra que quem não tem voz passa por coisa pior. A gente tem aceitado muito ainda. Justiça não pune os preconceituosos, vermes. Mas Deus perdoa, cara. Fica em paz", disse Marinho, chorando.

O camisa onze santista também publicou uma foto ao lado de sua filha no Instagram condenando o racismo no Brasil.

Pouco depois desse post de Marinho, o Chef Benedetti, autor do infeliz comentário, publicou um pedido de desculpas também no Instagram.

Mundo do esporte homenageia Rodrigo Rodrigues, morto aos 45