Futebol Após seguidas frustrações, Maurício Souza avalia ano do Flamengo: 'A gente precisa rever muita coisa'

Após seguidas frustrações, Maurício Souza avalia ano do Flamengo: 'A gente precisa rever muita coisa'

Técnico interino do Rubro-Negro, após a derrota para o Atlético-GO, na última rodada do Brasileirão, também comentou sobre as escolhas nesta noite, com a por três zagueiros

Lance
Lance

Lance

Lance

Maurício Souza, interino, mandou a campo um Flamengo remendado e sem aspirações diante do Atlético-GO, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, e viu a sua equipe sair derrotada por 2 a 0, nesta quinta, no Estádio Antônio Accioly. E o membro da comissão técnica fixa do clube fez um balanço da frustrante temporada, além de comentar sobre as escolhas nesta noite.

- Não acho que cabe nota (ao time na temporada). Todo mundo sabe que foi uma temporada aquém do que pensamos e planejamos. A segunda colocação, para a gente, não serve. O Flamengo vai sempre buscar títulos e querer o primeiro lugar. Foi uma temporada que a gente precisa rever muita coisa, tirar proveito e não cometer os mesmos erros nos próximos anos.

- A gente veio sabendo que o Atlético-GO precisava de uma vitória para ir para a Libertadores. Viemos com muitos desfalques (boa parte do elenco recebeu férias antecipadas). Imaginei que tivéssemos que fazer uma marcação mais baixa, protegendo um setor do campo, que, por sinal, foi muito bem, que foi o Wesley. Achamos que seria a melhor estratégia para sair com a vitória - completou Mauricinho.

> ATUAÇÕES: Fla não tem grandes destaques em melancólica derrota

O Flamengo encerrou o Brasileirão em segundo lugar, com 71 pontos e R$ 31,3 milhões de premiação. Ficou com os títulos do Carioca e da Supercopa do Brasil, além do doloroso vice na Libertadores.

Confira outros trechos da entrevista coletiva:

Rendimento da garotada hoje

- Eu saio daqui, com relação aos meninos, muito feliz com o que eu vi. Todo mundo que estava ali no vestiário já ganhou títulos importantes, seja na base ou no profissional. Mas não posso ficar triste com uma garotada que não tem uma sequência no profissional. Esse time fez 20 minutos de um treino. Tive que estruturar uma maneira de jogar, e acho que consegui isso. Eu saio muito feliz com eles... Com a entrega do André (Luiz), com a entrega do Wesley... Do Lázaro, que foi muito bem. Enfim, saio muito feliz com esses garotos.

A pouca bola de Vitor Gabriel

- Eu não entendo porque ele (Vitor Gabriel) rendeu tão pouco. A gente não sabe tudo. Ele foi o meu atleta no sub-20, e toda vez que ele ficou muito tempo sem atuar, teve dificuldade para encontrar o seu melhor ritmo. Hoje ele foi extremamente sacrificado. Ele jogou isolado, no bloco baixo, e teve dois garotos ao seu lado. Teve dificuldade para ir e voltar, correu para um lado, para o outro e lutou. Ele sabe que precisa melhorar em alguns aspectos e está motivado, não deixa de trabalhar, é profissional. Vai ter sempre meu apoio pois sei que é um atleta que está sempre buscando o seu melhor.

Últimas